O Que é Bom para Dor de Barriga?

dor de barriga

Muitas pessoas buscam ajuda na internet para solucionarem seus problemas, porém é importante que se entenda que nem sempre a experiência de uma pessoa é aplicável às circunstâncias de diversas outras.

É muito relevante caracterizar a dor dentro de diversos aspectos para que o direcionamento clínico seja correto e o diagnóstico seja preciso, excessos são desnecessários, mas a negligência pessoal afeta significativamente o agravamento de problemas e patologias que poderiam ser solucionados antes de se tornarem mais graves.

O tema da discussão de hoje é dor de barriga.

Certamente todos nós já ouvimos várias frases de pessoas mais idosas sobre o tema: “é bom passar óleo morno na barriga”, “vai ao toalete que passa”, “tem que fazer força”, “você deveria tomar o chá de (…)”, “tome esse remédio que é bom” e muitas outras.

O conhecimento popular é muito rico pois revela detalhes da nossa cultura, mas a saúde é um bem de valor imensurável e os médicos são os profissionais mais adequados para que consigamos diagnósticos e tratamentos direcionados à nossa singularidade. Iniciamos então com algumas perguntas, alterando o título da discussão para:

O que fazer quando sinto dor de barriga?

Todos os seres humanos em cada uma das fases de seu desenvolvimento já sentiram – ou sentem com constância – dores abdominais. Mas é importante que tenhamos em mente o que devemos fazer ao sentirmos esse desconforto.

O que é bom para dor de barriga

Então vamos dividir em dois blocos de perguntas

Primeiro: Onde está localizada minha dor, na parte inferior, nas laterais ou mais acima? Qual a intensidade da dor? Estou defecando com frequência? Existem alterações na coloração das fezes ou na urina?

Segundo: Meu desconforto cessa quando defeco? Qual é a consistência das fezes? Dependendo das respostas, será necessário procurar apoio médico, muitos pacientes apresentam fezes escurecidas e isso pode ser um indicativo de presença de sangue nas fezes.

Dor de barriga de origem intestinal

Excluindo as patologias que acometem outros órgãos alocados no abdome, falaremos sobre a dor de barriga de origem intestinal.

Nosso intestino é longo e possui várias partes e pontos de atenção e quando as nossas fezes estão, por exemplo: enrijecidas, existe alguma obstrução, inflamação ou simplesmente estamos com uma alta concentração de gases é comum que sintamos desconfortos.

A necessidade de uma alimentação balanceada não é apenas para pessoas que vivem um processo de reeducação alimentar, mas tudo o que comemos, tudo o que entra por meio da mastigação no nosso organismo e é excretado por meio das fezes, possui vários passos de desintegração, digestão e absorção que, para serem excretados, precisam de uma consistência viável. 

As fezes são o resultado de todo um percurso fundamental à vida, são compostas de bactérias, água, muco, elementos que não foram digeridos, dentre outros.

Estudos dizem que a composição normal das fezes possui cerca de setenta e cinco por cento de água, o que denota a extrema importância de uma dieta rica em água e fibras, que auxiliam na motilidade intestinal e na formação do bolo fecal que será expelido.


dores abdominais

Importância do processo de excreção para a nossa saúde

Conforme discutido acima, quando analisamos o desconforto abdominal temos que ter em mente a importância do processo de excreção para a nossa saúde.

Quando estamos constipados por muitos dias e sentimos desconfortos, a busca por apoio médico se faz totalmente necessária, em alguns casos é necessário que seja feito até mesmo um enema – um tipo de limpeza intestinal à base de glicerina de uso retal – para eliminação das fezes secas e endurecidas. Em casos mais graves o paciente pode ser inclusive submetido a procedimentos cirúrgicos – caso necessário.

Também há casos em que há lesões intestinais que precisam de atenção, como as inflamações e até mesmo patologias que fazem com que as cólicas sejam constantes – ex: colite espástica – fazendo com que o paciente tenha muitas dores e desconfortos recorrentes e precise de medicamentos de uso contínuo (ex: Mesalazina utilizada em pacientes com doença de Chron e colite ulcerativa).

Além disso, as dores de barriga podem estar demonstrando que nosso corpo precisa de atenção, quando temos intolerâncias alimentares, sentimos desconfortos gástricos e podemos ter um amolecimento anormal da fezes – como a intolerância à lactose.


Medicamentos que podem auxiliar no alívio da dor

No caso da dor de barriga não seja constante, existem medicamentos que podem auxiliar aliviando a dor, como por exemplo: simeticona (para gases), escopolamina simples ou composta com dipirona (para dor abdominal), loperamida (para diarréias excessivas).

medicamento

Caso a dor esteja acompanhada de náuseas ou vômitos, os antieméticos mais comuns são: metoclopramida, dimenidrinato, ondansetrona. Ainda se a dor estiver acompanhada de refluxos, existem  medicamentos que regulam a acidez estomacal chamados de antiacidos, como o hidróxido de alumínio ou magnésio.

O profissional médico poderá pedir exames para avaliar a necessidade de antibióticos e antiparasitários – alguns pacientes fazem uso anual de antiparasitários como albendazol e mebendazol. Além disso, é muito importante manter a microbiota intestinal saudável, seja com probióticos comprados em supermercados.

A automedicação não é aconselhável quando o problema é persistente.


Como aliviar a dor de barriga em casa?

  • Descanso intestinal. Pare de comer ou coma apenas alimentos fáceis de digerir, como bolachas ou bananas.
  • Hidratação. Beba muita água ou uma fórmula de hidratação.
  • Terapia de calor. Experimente uma garrafa de água morna ou um banho de imersão.

Além de manter uma dieta saudável, consumir frutas, legumes, verduras, fibras e bastante água, o paciente deve sempre fazer exames preventivos para manter a saúde balanceada e com apoio clínico sempre consiga elevar sua qualidade de vida.

Dra. Celia Yunes Portiolli

CRM-SP 27971 / RQE 5148 – 19469 Médica Pediatra e Especialista em Acupuntura Área de Atuação em Dor pela AMB (Associação Médica Brasileira), Coordenadora do Curso de Especialização em Acupuntura do CEIMEC – Centro de Estudo Integrado em Medicina Chinesa Médica colaboradora do Ambulatório de Acupuntura do Centro de Dor da Neurologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

Compartilhe Esse Conteúdo
Facebook
Twitter
LinkedIn
Dra. Celia Yunes Portiolli

Dra. Celia Yunes Portiolli

CRM-SP 27971 / RQE 5148 – 19469 Médica Pediatra e Especialista em Acupuntura Área de Atuação em Dor pela AMB (Associação Médica Brasileira), Coordenadora do Curso de Especialização em Acupuntura do CEIMEC – Centro de Estudo Integrado em Medicina Chinesa Médica colaboradora do Ambulatório de Acupuntura do Centro de Dor da Neurologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

Últimos Posts

newsletter

Receba Novidades Por E-mail

Deixe um Comentário

Postagens Relacionadas

Como evitar queloides

Como evitar queloides?

Queloides são crescimentos dérmicos benignos que surgem através da cicatrização anormal de feridas em resposta a traumas ou inflamações anteriores da pele.  O desenvolvimento de

Continue Lendo
Pupila Dilatada

O que é Pupila Dilatada? Entenda!

A pupila, uma estrutura de grande importância em nosso sistema visual, apresenta complexidade em sua constituição. Seu tamanho varia em resposta a três categorias distintas

Continue Lendo
categorias

Pesquise por Categoria

Urologia

Sintomas

Reumatologia

Radiologia

Psiquiatria

Psicologia

Pediatria

Otorrinolarigonlogia

Ortopedia

Oncologia

Oftalmologia

Nutrição

Notícias

Neurologia

Neurocirurgia

Nefrologia

Medicina Esportiva

Mastologia

Infectologia

Ginecologia e Obstetrícia

Gerontologia

Geriatria

Gastroenterologia

Fisioterapia

Fisiatria

Farmácia

Endocrinologia

Educação Física

Dor

Doenças

Dermatologia

Curiosidades

Clínica Médica

Cirurgia Vascular

Cirurgia Plástica

Canabidiol

Biomedicina

Artigos

Alergia

Acupuntura

newsletter

Receba Novidades Por E-mail