Coluna Travada: O que Pode ser?

coluna travada lombalgia
Descubra mais a respeito da coluna travada e entenda o que pode ser e como cuidar de cada caso.

Atualmente, várias pessoas sofrem com a coluna travada quando realizam algum movimento específico.

Só que, o que a maioria não sabe, é que essa situação é apenas um sintoma de um outro problema de saúde.

Isso porque a coluna travada é um mecanismo de defesa do nosso corpo para impedir que realizemos algum movimento que possa piora o quadro da patologia pré-existente.

Ou seja, na verdade, estar com a coluna travada, precisa nos abrir os olhos para alguns problemas de saúde, os quais explicaremos com mais detalhes a seguir:

coluna vertebral e fisiatria



1. Esforço excessivo

Quando realizamos um esforço excessivo, além do qual podemos suportar fisiologicamente, podemos ter como consequência a lesão de algumas estruturas da nossa coluna[1]Rubin DI. Epidemiology and risk factors for spine pain. Neurologic clinics. 2007 May 1;25(2):353-71..

Assim, carregar excesso de peso (como pode acontecer em a academias ou quando carregamos bolsas e mochilas pesadas) pode fazer com que músculos, ossos e vértebras sejam lesionados e nos causem, além de dor, um travamento no coluna[2]Siddall PJ, Cousins MJ. Spinal pain mechanisms. Spine. 1997 Jan 1;22(1):98-104..

Assim, é importante identificar qual foi a causa primária desse tipo de esforço e, em primeiro lugar, suspender a atividade.

Por exemplo, se isso aconteceu por conta de um levantamento de peso exagerado na academia, para o tratamento, será necessário suspender o exercicío e procurar um auxílio profissional para o alívio do sintoma.

Esse alívio pode ser dado com utilização de remédios, prescrição de fisioterapia e repouso, dependendo do caso.

Após isso, para que se retorne a atividade é preciso ter acompanhamento de um profissional (um educador físico de preferência) o qual conheça o problema da pessoa e prescreva exercícios para evitar que o esforço em excesso ocorra.

Mas, se a situação ocorreu por carregar peso em excesso (com uma mochila por exemplo) o indicado é fazer uma mudança de hábitos, ou para carregar menos peso ou, para caso isso não seja possivel, buscar outras alternativas como usar mochila de rodinhas.

2. Envelhecimento

Envelhecer é uma situação fisiológica que acontece com todo ser humano. Mas, ficar mais velho também trás consigo diversas consequências e, uma delas, pode ser sentida na nossa coluna[3]Izzo R, Popolizio T, D’Aprile P, Muto M. Spinal pain. European Journal of Radiology. 2015 May 1;84(5):746-56..

Isso porque, quando envelhecemos, várias funções do nosso corpo vão piorando por conta do desgaste e a diminuição da nossa capacidade de regeneração[4]Benoist M. Natural history of the aging spine. The aging spine. 2005:4-7..

Logo, os músculos e estruturas que compõe a nossa coluna (como ossos e discos vertebrais) também sofrem com esse processo.

Desse modo, temos algumas alterações comuns que aparecem com a idade, principalmente:

Assim, todas essas situações podem gerar lesões na região da coluna e, o nosso organismo, como uma forma de tentar nos proteger, trava a coluna e acaba nos causando dor.

A respeito disso, é bastante comum que as pessoas possam sentir alguma alteração a partir dos 30 anos, mas, a piora maior acaba sendo sentida a partir dos 40 anos.

Sendo assim, o mais indicado nesses casos é procurar um especialista para poder avaliar o caso e prescrever o melhor tratamento para a situação, o qual pode incluir o uso de remédios para aliviar a dor (como analgésicos e anti-inflamatórios) e sessões de fisioterapia.


3. Hérnia de disco

Pic 2 Hernia
Hérnia de disco

A hérnia de disco é um problema cada vez mais comum no nosso meio, sendo que pode acometer em média de 14 a 40% das pessoas no decorrer da vida, dentre as quais, as mais acometidas costumam ser as idosas.

Para entender melhor, é preciso saber que esssa doença acontece quando o conteúdo interno do disco vertebral extravasa para fora e acaba comprimindo os nervos próximos.

E, como você pode imaginar, esse tipo de compressão gera dor na hora de realizar atividades[5]Cunha C, Silva AJ, Pereira P, Vaz R, Gonçalves RM, Barbosa MA. The inflammatory response in the regression of lumbar disc herniation. Arthritis research & therapy. 2018 Dec;20(1):1-9..

Desse modo, um dos sintomas que podem estar presentes é a coluna travada, pois, ela vai atuar como um mecanismo para impedir que o corpo realize alguns movimentos que podem piorar o quadro.

Já sobre o tratamento, ele pode ser convencional usando apenas remédios, a realização de fisioterapia e exercícios de alongamento, ou envolver cirurgia.

Mas, para que você consiga ter o melhor diagnóstico, é preciso buscar ajuda médica, pois, somente assim, é possível a realização de exames, incluindo os de imagem, para se ter noção da dimensão da lesão e entender quais são os nervos que estão sendo acometidos.


4. Tensão ou distensão muscular

Os músculos possuem diversas funções no nosso organismo, dentre as quais, podemos citar: a estabilização e proteção de estruturas, a movimentação do corpo e a manutenção da postura[6]Borg-Stein J, Simons DG. Myofascial pain. Archives of physical medicine and rehabilitation. 2002 Mar 1;83:S40-7..

E, assim como em qualquer outra parte do corpo, a nossa coluna também possue uma musculatura a envolvendo.

O problema ocorre quando, por alguma razão, esses músculos ficam tensionadas ou são distendidos.

Como consequência, a musculatura tende a travar e não realizar os movimentos que antes seriam tidos como normais.

As causas para que isso aconteça são várias, entre as quais se tem:

  • Estresse;
  • Realização de movimentos inadequados;
  • E excesso de peso.

Assim, antes de tentarmos tratar esse problema, precisamos primeiro identificar qual foi a causa base que o gerou, pois, é a partir disso que seremos capazes de evitar o aparecimento da situação no futuro.

Por exemplo, se o que causou a distensão muscular foi a realização de algum movimento inadequado, precisa-se evitar esse movimento e aprender como fazer ele corretamente.

Além disso, outras terapias são necessárias para a melhora do quadro, como a utilização de medicamentos e a realização de exercícios e alongamentos a fim de melhorar o quadro de dor e destravar o local.

5. Postura inadequada

Com a modernidade, estar com uma postura inadequada é bastante corriqueiro.

Isso porque, com a ampliação do uso de celulares e computadores, é cada vez mais comum que as pessoas se curvem e sobrecarreguem algumas estruturas das costas[7]Tüzün C, Yorulmaz I, Cindaş A, Vatan S. Low back pain and posture. Clinical rheumatology. 1999 Jun;18(4):308-12..

Desse modo, como você pode imaginar, esse tipo de situação começa a causar lesão nas diversas estruturas da coluna, o que faz com que seja muito comum a presença de travamentos.

Inclusive, alguns problemas de coluna são bastante comuns de aparecerem após algum tempo, caso a pessoa não mude seus hábitos de postura, são eles:

  • Escoliose (no qual a coluna faz um “S”, geralmente, indicando que a pessoa sobrecarrega mais um lado do corpo, como no uso de bolsas)
  • Cifose (a famosa “corcunda” muito comum entre aqueles que passam muito tempo com a cabeça abaixada)
  • Lordose (parecida com a postura da grávida, mais comum em pessoas que costumam sobrecarregar a lombar)

Todas essa patologias listadas são capazes de gerar incômodos e, consequentemente, alguns movimentos podem ser limitados e a pessoa acaba travando a coluna.

Assim, se o objetivo é evitar que tais situações ocorram é preciso ter uma atenção redobrada em relação a nossa postura, pois, até mesmo a forma como dormimos pode ter uma influência significativa sobre isso.

Logo, deixamos abaixo algumas dicas para que você aplique no seu dia a dia para evitar possíveis problemas:

  • Durma de lado e com um travesseiro entre as penas e outro para apoiar a cabeça
  • Se for usar o computador por muito tempo, procure uma cadeira que permita uma boa sustentação da sua coluna
  • Use a tela do celular na mesma altura dos olhos
  • Quando estiver sentado, busque uma postura ereta e que permita a correta sustentação da sua coluna

Mas, se o problema já estiver instalado, além de seguir as dicas acima, será necessário que você busque a ajuda de um especialista, logo, pode ser que você necessite utilizar alguns medicamentos para aliviar o desconforto e, dependendo do grau de desvio que sua coluna está, a fisioterapia pode ser indicada.

Por fim, apenas gostaríamos de recomendar que, caso você ache que tem algum dos desvios de coluna citados acima, procure imediatamente um profissional da área (de preferência um ortopedista) porque pode ser que seja necessário uma intervenção cirúrgica.

Gordura Obeso Obesidade - Imagens grátis no Pixabay

6. Obesidade

A obesidade é um dos principais problemas de saúde que encontramos no mundo atual. Só para você ter uma ideia estima-se que as taxas da doença triplicaram nos últimos anos e atingem cerca de 650 milhões de pessoas ao redor do mundo!

E, a principal causa dessa situação é a mudança alimentar que ocorreu nas últimas décadas, onde as pessoas começaram a ter mais acesso a alimentos ricos em açúcares e processados em detrimento daqueles de origem natural.

Como consequência, diversas doenças (para as quais a obesidade causa risco) começaram a aumentar também, como: diabetes tipo 2, hipertensão arterial, síndrome metabólica, infarto agudo do miocardio, câncer e acidente vascular cerebral.

Mas, ainda que as patologias listadas abaixo sejam as primeiras que vêm a mente quando pensamos em obesidade, nós também precisamos estar cientes de que ela pode gerar outros problemas no organismo, inclusive na coluna.

Isso porque, como esse problema de saúde consiste em um aumento da gordura corporal, o esforço e o peso depositados sobre a coluna começam a causar problemas de locomoção e, até mesmo, dor.

Logo, pode ser que essa situação, gere quadros que já discutimos anteriormente, como:

Por essa razão, além de tratar o que está fazendo a coluna travar, é preciso tratar a obesidade, se não, por mais que se use remédios para amenizar o quadro, o problema nunca será verdadeiramente resolvido.

Em vista disso, é preciso buscar auxílio de médicos e nutricionistas para avaliar o quadro e iniciar um processo de reeducação alimentar.


7. Tabagismo

Não Fumar Logotipo Símbolos - Gráfico vetorial grátis no Pixabay

O tabagismo é um dos fatores modificáveis que mais causa mortes no mundo.

A razão para isso é que as substâncias tóxicas presentes no cigarro geram diversos problemas de saúde como: câncer e doenças vasculares.

Inclusive, um das alterações que o fumo pode causar no nosso organismo (e poucos sabem) é a degeneração dos discos vertebrais.

Isso acontece porque os compostos químicos aumentam circulação da carboxi-hemoglobina o que impede a circulação correta para as diversas partes do corpo.

Consequentemente, os fumantes começam a ter problema na respiração celular o que acaba culminando em morte das células, como, por exemplo nos discos vertebrais.

Assim, a degeneração dos discos vertebrais causará dor na pessoa e a coluna vertebral vai começar a limitar os movimentos (gerando o travamento) a fim de evitar a piora do quadro e proteger a região.

Por isso, nessas situações o indicado é iniciar uma terapia para largar o vício do fumo, além de tratar o problema da coluna.

  • Tabagismo e dor nas costas
    O tabagismo está associado a um aumento na intensidade e cronicidade da dor em indivíduos com dor nas costas. A nicotina, um componente-chave da fumaça do tabaco, é irritante para a pele e pode aumentar a inflamação no corpo, levando ao aumento da dor nas costas. Além disso, fumar pode reduzir a oxigenação dos tecidos do corpo, levando a uma diminuição na cicatrização de tecidos lesionados nas costas e na coluna.
  • Fumo passivo e dor nas costas
    O fumo passivo também pode piorar a dor nas costas. O fumo passivo contém muitos dos mesmos produtos químicos e irritantes do fumo direto e pode causar inflamação dos tecidos das costas e da coluna vertebral. Além disso, a exposição prolongada ao fumo passivo pode aumentar o risco de desenvolver dor crônica nas costas.
  • Terapia de reposição de nicotina e dor nas costas
    A terapia de reposição de nicotina pode exacerbar a dor nas costas. A reposição envolve a administração de nicotina através de uma variedade de sistemas de administração, como adesivos, gomas e inaladores. Embora a reposição seja frequentemente usada como um auxílio para parar de fumar, ela também pode aumentar o risco de desenvolver dores nas costas. A nicotina é irritante para a pele e pode aumentar a inflamação no corpo, levando ao aumento da dor nas costas.
  • Tabaco e Degeneração do Disco Espinhal
    O tabaco também aumenta o risco de degeneração do disco vertebral. Fumar pode causar desidratação dos tecidos do corpo, o que pode fazer com que os discos da coluna fiquem desidratados e encolham. Isso pode levar ao aumento da pressão nos nervos da coluna, levando ao aumento da dor. Outro motivo é que os produtos químicos na fumaça do tabaco podem fazer com que o material do disco se quebre com o tempo, levando a uma maior degeneração do disco e dor.


8. Sedentarismo

Como já vimos, os músculos da coluna possuem uma função ímpar na estabilidade da região.

Por essa razão, é sempre importante fazer exercícios que visam o fortalecimento da área. Pois, caso não se tenha esse tipo de cuidado,  com o tempo, a musculatura fica enfraquecida, o que faz com que a proteção das costas esteja comprometida.

Logo, é possível que existam lesões com mais facilidade que causariam uma coluna travada.

Desse modo, o indicado é fortalecer a região e procurar auxílio médico para, caso seja necessário, fazer o uso correto de medicamentos analgésicos.

BenefícioExplicação
Força muscular diminuídaSentado prolongado resulta em atividade reduzida dos músculos principais, levando a uma diminuição na força dos músculos. Essa diminuição da força leva ao enfraquecimento das costas, tornando-as mais propensas a lesões, dores e agravamento adicional.
Flexibilidade reduzidaA falta de movimento associada ao comportamento sedentário resulta na diminuição da flexibilidade dos músculos e articulações, dificultando a movimentação e resultando em um risco aumentado de distensão muscular e dores nas costas.
Aumento do estresse na coluna vertebralFicar sentado por muito tempo pode colocar pressão extra na coluna e nos discos. Esse aumento de pressão pode fazer com que os discos inchem e enfraqueçam, causando dor e desconforto nas costas.
Má PosturaMá postura, como curvar-se ou sentar-se em uma posição curvada, é mais comum em indivíduos sedentários. Isso pode levar a músculos tensos, músculos centrais fracos e aumento da pressão na coluna, levando a dores nas costas.


9. Doença degenerativa do disco

A doença degenerativa do disco é uma condição que afeta a coluna vertebral e pode causar dor crônica, rigidez e diminuição da amplitude de movimento. Ocorre quando os discos entre as vértebras da coluna se desgastam e quebram, levando à inflamação e compressão do nervo. Os discos são as almofadas que separam as vértebras e, quando danificados, as vértebras podem se esfregar, causando dor e outros sintomas.

A causa exata da doença degenerativa do disco não é conhecida, mas acredita-se que seja o resultado do envelhecimento e desgaste da coluna ao longo do tempo. Outros fatores que podem aumentar o risco de desenvolver a doença incluem genética, excesso de peso, tabagismo e certas condições médicas, como artrite. O tratamento para a doença degenerativa do disco geralmente envolve uma combinação de mudanças no estilo de vida, medicamentos, fisioterapia e, às vezes, até cirurgia.

Viver com doença degenerativa do disco pode ser difícil, mas existem maneiras de controlar a condição e reduzir a dor. Manter-se ativo e fazer exercícios de baixo impacto pode ajudar a fortalecer os músculos e ligamentos da coluna, o que pode ajudar a reduzir a dor. Comer uma dieta saudável e manter um peso saudável também pode ajudar a reduzir a inflamação e aliviar os sintomas. Além disso, descansar e relaxar o suficiente pode ajudar a reduzir o estresse, o que também pode ajudar a reduzir a dor e melhorar a qualidade de vida.


10. Dor facetária – dor das articulações da faceta da coluna

artrose interfacetaria 1

A dor nas articulações facetárias, também conhecida como síndrome facetária, é uma condição que afeta as pequenas articulações da coluna vertebral. Ocorre quando as articulações facetárias ficam inflamadas e causam dor nas costas, pescoço e ombros. A dor pode variar de leve a grave e pode interferir nas atividades diárias.

A dor nas articulações facetárias é causada por vários fatores, incluindo idade, lesão ou condições degenerativas. Também pode ser causada por artrite ou doença degenerativa do disco. O sintoma mais comum da dor nas articulações facetárias é uma dor incômoda e incômoda que piora ao dobrar, torcer ou levantar. Também pode ser acompanhada de rigidez, sensibilidade e dificuldade de movimentação.

O tratamento para dor nas articulações facetárias inclui fisioterapia, medicamentos e injeções. A fisioterapia pode ajudar a reduzir a inflamação e fortalecer os músculos ao redor das articulações. Medicamentos como anti-inflamatórios não esteróides (AINEs) podem ajudar a reduzir a dor e a inflamação. Injeções como injeções de corticosteroides podem ser usadas para reduzir a inflamação e aliviar a dor. A cirurgia pode ser necessária em alguns casos. É importante conversar com seu médico sobre o melhor tratamento para sua condição específica.

Conclusão

Como você pode observar, a maioria dos problemas de saúde que podem gerar uma coluna travada acabam se correlacionando entre si. Sendo eles:

Sobre isso, percebemos que os tratamentos são bastante parecidos entre si envolvendo, basicamente, o fortalecimento da região e o uso de analgésicos.

Entretanto, é importante lembrar  que muitos desses fatores são modificáveis e, os que não são, podem ser prevenidos com as seguintes atitudes:

No mais, apenas reforçamos que, caso você tenha problemas com a coluna travada, busque a ajuda de um profissional para fazer a investigação adequada.

Também lembramos que não recomendamos a automedicação e que qualquer tipo de remédio deve ser prescrito por um médico que irá avaliar cada situação individualmente.

Referências Bibliográficas

Referências Bibliográficas
1 Rubin DI. Epidemiology and risk factors for spine pain. Neurologic clinics. 2007 May 1;25(2):353-71.
2 Siddall PJ, Cousins MJ. Spinal pain mechanisms. Spine. 1997 Jan 1;22(1):98-104.
3 Izzo R, Popolizio T, D’Aprile P, Muto M. Spinal pain. European Journal of Radiology. 2015 May 1;84(5):746-56.
4 Benoist M. Natural history of the aging spine. The aging spine. 2005:4-7.
5 Cunha C, Silva AJ, Pereira P, Vaz R, Gonçalves RM, Barbosa MA. The inflammatory response in the regression of lumbar disc herniation. Arthritis research & therapy. 2018 Dec;20(1):1-9.
6 Borg-Stein J, Simons DG. Myofascial pain. Archives of physical medicine and rehabilitation. 2002 Mar 1;83:S40-7.
7 Tüzün C, Yorulmaz I, Cindaş A, Vatan S. Low back pain and posture. Clinical rheumatology. 1999 Jun;18(4):308-12.

Dr. João Arthur Ferreira

CRM-SP 19759 / RQE 3179 Atua no tratamento de reabilitação em atletas, dor aguda e dor crônica (cervicalgia, lombalgia, enxaqueca). Médico especialista em Fisiatria e Acupuntura Coordenador do CEIMEC – Centro de Estudo Integrado de Medicina Chinesa – Curso de Pós-Graduação em Acupuntura Médica, reconhecida pelo CMBA (Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura).
Membro Titular da Sociedade Brasileira de Medicina Física e Reabilitação (SBMFR).
Ex-Colaborador do Grupo de Dor do Departamento de Neurologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

Compartilhe Esse Conteúdo
Facebook
Twitter
LinkedIn
Dr. João Arthur Ferreira

Dr. João Arthur Ferreira

CRM-SP 19759 / RQE 3179 Atua no tratamento de reabilitação em atletas, dor aguda e dor crônica (cervicalgia, lombalgia, enxaqueca). Médico especialista em Fisiatria e Acupuntura Coordenador do CEIMEC – Centro de Estudo Integrado de Medicina Chinesa – Curso de Pós-Graduação em Acupuntura Médica, reconhecida pelo CMBA (Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura).
Membro Titular da Sociedade Brasileira de Medicina Física e Reabilitação (SBMFR).
Ex-Colaborador do Grupo de Dor do Departamento de Neurologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

Últimos Posts

newsletter

Receba Novidades Por E-mail

Deixe um Comentário

Postagens Relacionadas

Como evitar queloides

Como evitar queloides?

Queloides são crescimentos dérmicos benignos que surgem através da cicatrização anormal de feridas em resposta a traumas ou inflamações anteriores da pele.  O desenvolvimento de

Continue Lendo
Pupila Dilatada

O que é Pupila Dilatada? Entenda!

A pupila, uma estrutura de grande importância em nosso sistema visual, apresenta complexidade em sua constituição. Seu tamanho varia em resposta a três categorias distintas

Continue Lendo
categorias

Pesquise por Categoria

Urologia

Sintomas

Reumatologia

Radiologia

Psiquiatria

Psicologia

Pediatria

Otorrinolarigonlogia

Ortopedia

Oncologia

Oftalmologia

Nutrição

Notícias

Neurologia

Neurocirurgia

Nefrologia

Medicina Esportiva

Mastologia

Infectologia

Ginecologia e Obstetrícia

Gerontologia

Geriatria

Gastroenterologia

Fisioterapia

Fisiatria

Farmácia

Endocrinologia

Educação Física

Dor

Doenças

Dermatologia

Curiosidades

Clínica Médica

Cirurgia Vascular

Cirurgia Plástica

Canabidiol

Biomedicina

Artigos

Alergia

Acupuntura

newsletter

Receba Novidades Por E-mail