Síndrome Dolorosa Miofascial – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos [GUIA COMPLETO]

Índice do Conteúdo ocultar

Síndrome Dolorosa Miofascial – Causa comum de dor muscular

A dor muscular é algo muito comum em grande parte da população. Fazendo com que seja um dos principais motivos para procurar um médico.

RESUMO DOR MIOFASCIAL:

  • A síndrome da dor miofascial é um distúrbio de dor crônica caracterizado por dor e sensibilidade muscular.
  • A dor miofascial é causada pelo acúmulo de pontos-gatilho nos músculos.
  • Os pontos de gatilho são áreas de tensão e sensibilidade nos músculos.
  • A dor miofascial pode causar dor nas costas, ombros, pescoço, mandíbula e outras áreas do corpo.
  • Os sintomas comuns incluem dor, rigidez e amplitude de movimento limitada.
  • O tratamento geralmente envolve alongamento, massagem e modificações no estilo de vida.
  • A dor miofascial não é causada por nenhuma condição médica subjacente, mas pode ser desencadeada por estresse e fadiga.

A Síndrome dolorosa miofascial é um estado de dor crônica, em que o indivíduo sente tensão muscular exacerbada, associada a nódulos dolorosos (pontos-gatilho)[1]Borg-Stein J, Simons DG. Myofascial pain. Archives of physical medicine and rehabilitation. 2002 Mar 1;83:S40-7..

Esses pontos-gatilho quando pressionados, causam dor local ou podem irradiar para outras partes do corpo.

Geralmente esse tipo de dor dura por alguns dias e somem, sem precisar de medicamentos. E em algumas pessoas ela permanece, deixando o local dolorido, podendo até limitar o movimento.

Sabemos o quanto é desagradável sentir dor, e como ela é limitante. Porém, muitas vezes ela é necessária indicando que algo no organismo não está bem.

A dor é controlada pelo sistema nervoso, ocorrendo quando um estímulo chega até o cérebro.

O primeiro impulso ao sentir dor é parar, pois muitos acreditam que o movimento pode piorar. Isso não é verdade, dependendo do caso pode melhorar.


Definição de Fáscia muscular

Primeiramente, vamos entender o que é fáscia muscular. Antes de definirmos a dor miofascial, vamos conhecer de onde ela se origina.

A fáscia está presente nos músculos, e sua aparência lembra uma teia de aranha. É classificada como um tecido conjuntivo fibroso.

Um grande tecido que além de cobrir todos os músculos, está presente nos ossos,ligamentos,nervos, órgãos e artérias.

É um tecido que reveste o corpo dos pés à cabeça sem interrupção. Dessa forma, ela irá manter as partes conectadas.

Sua principal função é de proteção, principalmente contra traumas externos. Além disso, ela é um apoio ao sistema músculo esquelético. Permitindo que realizássemos atividades do cotidiano como levantar, sentar, correr, pular.

Quando está em seu estado saudável, sua aparência é relaxada e ondulada. Assim, ela poderá alongar-se e se mover sem nenhum impedimento.

Ao sofrer um trauma físico, ou psicológico, a fáscia perderá essa flexibilidade. Dessa maneira, ela não irá oferecer o suporte que o corpo necessita, tornando-se restrita.

As consequências são as dores causadas na região afetada, podendo irradiar para outras partes do corpo.


O Que É Síndrome Dolorosa Miofascial?

A Síndrome dolorosa miofascial, ou dor miofascial, é uma disfunção neuromuscular. São pontos dolorosos localizados nas bandas musculares[2]Jafri MS. Mechanisms of myofascial pain. International scholarly research notices. 2014;2014..

Esses pontos também podem ser chamados de pontos-gatilhos, ou trigger points. Quando localizados e pressionados, o paciente refere dor local ou irradiada para outras partes.

Podemos dizer que a dor miofascial é um conjunto de sinais e sintomas. Geralmente seus pontos são encontrados na região do pescoço, cabeça, ombros, e coluna lombar.

Quando a dor muscular é muito intensa, pode limitar os movimentos, dificultando a realização dos movimentos.

Em situações de estresse a dor pode apresentar-se em maior intensidade. Podendo aparecer em qualquer idade, raça ou sexo.


Diagnóstico da Síndrome Dolorosa Miofascial

consulta dores

Como dito anteriormente, a dor miofascial são pontos específicos no corpo, que quando pressionados geram dor. Essa dor pode ser local, ou irradiada.

Seus sintomas podem piorar com o movimento, principalmente ao realizar esforço.

Podemos destacar como os principais sintomas:

  • Tensão muscular
  • Redução da amplitude de movimento, decorrente da dor e rigidez muscular.
  • Dor no ponto de gatilho quando pressionado. Essa dor poderá ser somente no local pressionado, ou irradiada para outro local.

Seu diagnóstico é feito através da palpação no local referido. O médico ou fisioterapeuta, irá buscar os pontos dolorosos.

ExameFinalidade
Exame FísicoAvalie os sintomas físicos, como sensibilidade, dor e amplitude de movimento.
Exames de imagemIdentifique possíveis problemas estruturais, como hérnia de disco ou esporão ósseo.
Exames NeurológicosTeste reflexos, sensações e força.
Injeções de ponto de gatilhoAliviar a dor e sensibilidade em áreas específicas do corpo. Pode ser usado como teste terapêutico

Não é necessário a realização de exames, porém o médico poderá solicitar para descartar outros tipos de problemas.

Exame de imagemFinalidade
Raio XDetecte anormalidades ósseas e pontos-gatilho miofasciais calcificados
UltrassomAvalie os músculos superficiais quanto a tendinopatias, lesões articulares e outras causas de dores ortopédicas.
Tomografia computadorizada (TC)Avaliar ossos, afasta lesões articulares.
Ressonância MagnéticaAvalie tecidos moles, tendões e ligamentos, incluindo hérnia de disco


Como Os Pontos-Gatilho São Formados?

Existem várias formas para a formação dos pontos-gatilho. As principais causas são emocionais, alterações no organismos, tensão muscular, pancadas, etc.

Muitas vezes a atividade profissional desempenhada pode causar. Isso ocorre quando há esforço repetitivo.

Sua formação não está muito esclarecida, existem várias explicações a respeito. Porém, existem condições que podem formá-los. Como microtraumas, isquemia, sobrecarga, inflamação,infecções crônicas, entre outras.

Alguns fatores como sedentarismo, atividade física em excesso, ou executada de maneira errada, podem ajudar na formação dos pontos.

dor miofascial gluteo medio

Ilustração – Dor referida do músculo glúteo médio

Ao lado, padrão comum de dor referida (em vermelho), do músculo glúteo médio.

Os sintomas de uma dor miofascial do glúteo médio envolvem dor e sensibilidade na face lateral do quadril, que podem ser agravados com atividades como correr, subir escadas, sentar ou caminhar por muito tempo e deitar no lado afetado do quadril.

O músculo glúteo médio é comumente sobrecarregado, ficando com várias bandas tensas musculares, com possível formação de pontos gatilhos nele. Pode gerar dor espontânea ou dor aos movimentos.

Quando está muito contraturado, pode afetar a distribuição de força no quadril e na região lombar e irrita o sistema nervoso periférico, com irradiação da dor.


Padrões comuns de Dor Miofascial

Pontos-Gatilhos na Região dos Braços

Ponto-GatilhoPadrão comum de dor
SupraespinalDor no ombro e na parte superior do braço, irradiando para o pescoço e região lombar
InfraespinhalDor no ombro e na parte superior do braço, irradiando para o pescoço e região lombar
SubescapularDor no ombro, irradiando para a parte superior do braço e tórax
Redondo MaiorDor no ombro, irradiando para a parte superior do braço e cotovelo
Redondo MenorDor no ombro, irradiando para a parte superior do braço e cotovelo
DeltóidesDor no ombro, irradiando para o braço e cotovelo
TrícepsDor na parte superior do braço, irradiando para o cotovelo e antebraço
BícepsDor na frente do braço, irradiando para o cotovelo e antebraço
BraquialDor no cotovelo, irradiando para o antebraço
CoracobraquialDor no ombro e na parte superior do braço, irradiando para o cotovelo e antebraço

Pontos-gatilho na região das pernas

Ponto-GatilhoPadrão comum de dor
Tibial AnteriorDor na canela, irradiando para a parte superior dos pés e dedos dos pés
Fibular LongoDor na parte externa da perna, irradiando para o tornozelo, pé e dedos do pé
GastrocnêmioDor na parte de trás da panturrilha, irradiando para o calcanhar e pé
SóleoDor na parte de trás da panturrilha, irradiando para o calcanhar e pé
Tensor da fáscia lataDor no quadril, irradiando para a parte externa da coxa
Reto FemoralDor na frente da coxa, irradiando para o quadril e joelho
Vasto MedialDor na parte interna da coxa, irradiando para o joelho
Vasto LateralDor na parte externa da coxa, irradiando para o joelho

Pontos-gatilho na região lombar

Ponto-GatilhoPadrão comum de dor
Quadrado LombarDor na parte inferior das costas, irradiando para a parte inferior do abdômen e quadril
IliopsoasDor na frente do quadril, irradiando para a coxa e joelho
PiriformeDor na nádega, irradiando para a parte posterior da coxa
Eretores da EspinhaDor lombar paravertebral, irradiada superiormente ou inferiormente

Pontos-gatilho na região dorsal

Ponto-GatilhoPadrão comum de dor
Latíssimo do dorsoDor na parte inferior das costas, irradiando para as nádegas e parte superior das pernas
Quadrado LombarDor na parte inferior das costas, irradiando para a parte inferior do abdômen e quadril
Fáscia toracolombarDor na parte inferior das costas, irradiando para as nádegas e parte superior das pernas
Glúteo MédioDor na nádega, irradiando para o quadril e coxa
Glúteo mínimoDor na nádega, irradiando para o quadril e coxa

Pontos-gatilho na região cervical e pescoço

Ponto-GatilhoPadrão comum de dor
Trapézio SuperiorDor no ombro e pescoço, irradiando do braço até o cotovelo
Elevador da escápulaDor no pescoço, irradiando da escápula para o ombro e braço
EsternocleidomastóideoDor no pescoço, irradiando para a têmpora, mandíbula e ouvido
EscalenosDor na lateral do pescoço, irradiando para o peito, ombro e parte superior do braço
OccipitalDor na nuca, irradiando para a testa, têmpora e mandíbula


Pontos-gatilho na região da face e cabeça

Ponto-GatilhoPadrão de dor
SuboccipitalDor de cabeça na nuca, dor que irradia para a testa, olhos e face
TemporalDor de cabeça nas têmporas, irradiando para a testa e olhos
MasseterDor irradiando da mandíbula para as têmporas, testa e olhos
EsternocleidomastóideoDor irradiando do pescoço e base do crânio para a mandíbula, têmporas e olhos
Trapézio SuperiorDor irradiando do ombro para a testa, têmporas e olhos


Tratamento de Síndrome Dolorosa Miofascial

O tratamento para a síndrome da dor miofascial geralmente inclui medicamentos, injeções no ponto-gatilho, agulhamento seco, ondas de choque ou fisioterapia. Nenhuma evidência conclusiva suporta o uso de uma terapia em detrimento de outra, mas o exercício é considerado um componente importante de qualquer programa de tratamento.

O tratamento da dor miofascial pode ser feito tratando a causa, e os sintomas.

Após diagnosticar os motivos que levaram a formação dos pontos-gatilho[3]Esenyel M, Caglar N, Aldemir T. Treatment of myofascial pain. American journal of physical medicine & rehabilitation. 2000 Jan 1;79(1):48-52..

O profissional poderá indicar o melhor tratamento para a causa do problema, evitando que novos pontos se formem.


Medicamentos analgésicos para alívio de dor miofascial

Analgésicos e anti-inflamatórios, são indicados por médicos após consultas para alívio da dor e inflamação.

  • Diclofenaco (Voltaren): um anti-inflamatório não esteróide (AINE) usado para reduzir a inflamação e a dor. Verificou-se que é eficaz no alívio da dor muscular causada por distensões e entorses.
  • Ibuprofeno (Advil): um AINE que demonstrou ser eficaz no alívio da dor muscular causada por distensões, entorses e outras condições. Também pode reduzir a inflamação e a febre.
  • Naproxen (Flanax, Nexflen): um AINE usado para reduzir a dor e a inflamação associadas à dor muscular causada por distensões, entorses e outras condições.
  • Paracetamol (Tylenol): um analgésico que pode ajudar a reduzir o desconforto associado à dor muscular causada por distensões e entorses. Não reduz a inflamação.
  • Dipirona (Novalgina): um medicamento analgésico usado para reduzir a dor e a inflamação associadas à dor muscular causada por distensões, entorses e outras condições. Também pode reduzir a febre.
  • Viminol (Dividol): nova opção de analgésico com potência média para dores agudas e crônicas.

Relaxantes musculares

  • Ciclobenzaprina (Miosan, Musculare) – um relaxante muscular que ajuda a reduzir a dor e relaxa os músculos tensos, além de aumentar a amplitude de movimento.
  • Tizanidina (Sirdalud) – um relaxante muscular que ajuda a reduzir espasmos musculares, cãibras e dor, bloqueando os impulsos nervosos para os músculos.
  • Orfenadrina (Dorflex)- um relaxante muscular que ajuda a reduzir espasmos musculares, cãibras e dores.
  • Baclofeno (Baclon) – reduz espasmos musculares, cãibras e dores associadas à espasticidade muscular, além de ajudar a melhorar a coordenação e o equilíbrio.
  • Carisoprodol (Trilax, Mioflex, Tandrilax, Torsilax) – um relaxante muscular sedativo-hipnótico que ajuda a reduzir a dor muscular e melhorar a mobilidade.
  • Metaxalona – um relaxante muscular que ajuda a reduzir a dor e a rigidez nos músculos, bloqueando os impulsos nervosos para os músculos.
  • Clorzoxazona – um relaxante muscular que ajuda a reduzir os espasmos musculares e a dor, bloqueando os impulsos nervosos para os músculos.


Medicamentos adjuvantes para tratamento

Em pacientes com dor crônica, o uso de medicamentos adjuvantes, como antidepressivos, anticonvulsivantes e neurolépticos é indicado.

  • Antidepressivos como amitriptilina (Amytril), imipramina (Tofranil), nortriptilina (Pamelor) e duloxetina (Cymbalta) podem ser úteis com a dor crônica da síndrome da dor miofascial.
  • Medicamentos anticonvulsivos, como gabapentina (Neurontin) e pregabalina (Lyrica) também podem ser úteis com a dor crônica da síndrome

Estes medicamentos possuem efeito no sistema nervoso central, com efeito central em analgesia e neuromodulação.

Mecanismo dos antidepressivos para dores musculares
1. Aumenta os níveis de serotonina e norepinefrina no cérebro para reduzir a dor.
2. Impede que os sinais de dor cheguem ao cérebro, visando vias nervosas específicas.
3. Mude a maneira como o cérebro percebe a dor, alterando a maneira como certos neurotransmissores interagem com os receptores de dor.
4. Melhora as capacidades naturais de combate à dor do corpo, aumentando a produção de endorfinas.
5. Reduz a tensão muscular, relaxando os músculos.
Mecanismo dos AnticonvulsivantesEfeitos na dor muscular
Inibição de canais de cálcio dependentes de voltagemReduz espasmos musculares e alivia dores musculares
Estimulação dos receptores GABADiminuição da excitabilidade do nervo, reduzindo a dor muscular
Inibição de receptores de glutamatoDiminuição da atividade do neurotransmissor excitatório, reduzindo espasmos musculares e dor
Inibição dos Canais de SódioReduz a excitabilidade nervosa, reduzindo os espasmos musculares e a dor

Medicamentos opióides

Devem ser evitados para o tratamento da dor crônica, pois podem baixar o limiar de dor. Utilizados principalmente em episódios agudos ou crises de dor.

  • Tramadol (Tramal): Tramadol é um medicamento opioide sintético usado para tratar dor moderada a intensa. É prescrito para dor miofascial devido à sua capacidade de reduzir a dor sem afetar significativamente a consciência ou as funções motoras.
  • Codeína (Tylex, Paco): a codeína é um opioide leve usado para tratar a dor. É normalmente prescrito para dor miofascial leve a moderada devido à sua eficácia no alívio da dor sem afetar significativamente a consciência ou as funções motoras.
  • Metadona (Mytedom): a metadona é um medicamento opioide sintético usado para tratar dor moderada a intensa. É prescrito para dor miofascial devido aos seus efeitos de longa duração, que podem proporcionar alívio da dor a longo prazo sem afetar significativamente a consciência ou as funções motoras.

Liberação dos pontos gatilho

Outra maneira é realizando a liberação dos pontos-gatilho. Fazendo com que ele desapareça juntamente com a dor no local.

A liberação poderá ser feita através de instrumentos próprios, ou manual. Seu objetivo é realizar uma compressão local.

Assim, há um impedimento do fluxo sanguíneo local gerando uma isquemia. Ao soltar, o sangue volta a circular com mais intensidade, oxigenando o local.

Dessa forma, todo o processo inflamatório é reduzido. Pode ser feito com as mãos, com ventosas, ou instrumental.

O fisioterapeuta aplicará técnicas moderadas de tração e torção em combinação com alongamentos suaves para conseguir isso. Cada técnica de alongamento e massagem pode durar vários minutos e ser realizada várias vezes até que o músculo esteja completamente relaxado.


Dry needling / agulhamento seco para dor miofascial

needling

Outra forma de tratamento é com técnicas específicas de agulhamento (dry needling).

Onde serão desativados os pontos de dor, devido ao aumento da circulação local.

O agulhamento é feito com médicos fisiatras, ou médicos especialistas em dor, após uma avaliação criteriosa.

Benefício do Dry Needling para Síndrome de Dor MiofascialDescrição
Reduz a dorLibera pontos-gatilho no músculo que causam dor.
Melhora a MobilidadeLibera os músculos tensos e melhorando a amplitude de movimento.
Relaxa os músculosReduz a tensão no corpo.
Melhora a circulaçãoAumento do fluxo sanguíneo para a área.
Melhora o tempo de recuperaçãoReduz a inflamação e a dor.


Psicologia no auxílio da reabilitação

Se a causa for emocional, além do tratamento citado acima, é necessário acompanhamento psicológico. Nesse caso, outros fatores estão envolvidos.


Fisioterapia para síndrome dolorosa miofascial

fisioterapia

Medidas terapêuticas analgésicas podem ser utilizadas em um primeiro momento, como TENS, ultrassom e calor local.

Alongamento e liberação miofascial são úteis no controle da dor e diminuição das bandas tensas.

Em uma terceira fase, exercícios de fortalecimento e treino resistido são importantes para recuperação muscular, com objetivo de fortalecimento e prevenção de formação de pontos gatilho miofasciais.

Infiltração de pontos-gatilho no tratamento de dor muscular

A liberação miofascial é uma combinação de alongamento leve e massagem para liberar a tensão muscular e romper o tecido cicatricial.

  • Benefícios da injeção para síndrome de dor miofascial:
    • Redução da dor
    • Amplitude de movimento restaurada
    • Diminuição da tensão muscular
    • Inflamação reduzida
    • Melhor qualidade de vida
  • Como funciona a injeção de anestésicos locais:
    • Os anestésicos locais são injetados diretamente na área afetada.
    • Os medicamentos injetados impedem que os sinais de dor cheguem ao cérebro.
    • Os medicamentos também ajudam a reduzir os espasmos musculares, resultando em diminuição da dor e melhora da mobilidade.

Toxina botulínica (BOTOX) para inativação de pontos-gatilho miofasciais

Para casos refratários, o BOTOX pode ser utilizado para tratamento.

  • Reduz a tensão e a rigidez muscular – As injeções de toxina botulínica podem reduzir a tensão nos músculos afetados, permitindo que eles relaxem e reduzindo a rigidez na área.
  • Melhora a amplitude de movimento – Ao reduzir a rigidez e a tensão nos músculos, as injeções de toxina botulínica podem ajudar a melhorar a amplitude de movimento do paciente, permitindo que ele se mova com mais liberdade.
  • Reduz a intensidade da dor associada à síndrome de dor miofascial – O relaxamento dos músculos devido às injeções pode reduzir a quantidade de dor sentida, resultando em uma diminuição da intensidade da dor.
  • Reduz a sensibilidade e o desconforto nas articulações – As injeções de toxina botulínica podem reduzir a inflamação e a tensão nas articulações, resultando em menos desconforto ao se movimentar.
  • Alivia espasmos musculares e cãibras – O relaxamento dos músculos devido às injeções pode reduzir a ocorrência de espasmos musculares e cãibras.
  • Reduz a necessidade de medicamentos e outros tratamentos – Como as injeções de toxina botulínica podem reduzir a dor e a tensão muscular, o paciente pode não precisar depender de medicamentos e outros tratamentos para controlar seus sintomas.
  • Melhora a postura e o movimento – Ao reduzir a rigidez dos músculos e melhorar a amplitude de movimento, o paciente pode melhorar sua postura e movimento.


Prevenção da Dor Miofascial

Como dito anteriormente, é um problema com diversas causas. Não há nada específico que poderá prevenir. Porém, algumas mudanças podem evita-la.

  • Praticar atividade física regularmente, com o tempo de descanso necessário. Sempre orientado por profissional, sem realizar excessos.
  • Correção postural no trabalho, durante as atividades domésticas, ao dormir, ou realizar qualquer outra tarefa.
  • Sempre que puder alongue-se.
  • Fique atento na qualidade do sono, dormir é essencial para o bom funcionamento do organismo.

Para que o tratamento ou a prevenção seja eficaz, uma equipe de profissionais deve ser consultados. Médicos, fisioterapeutas, psicólogos e educadores físicos.

A terapia manual irá reduzir os sintomas, e os exercícios irá corrigir disfunções musculares. A disciplina do paciente irá trazer bons resultados a longo prazo.


exame checkup medico

Quando consultar um médico para dor muscular?

Marque uma consulta com seu médico se sentir dores musculares que não desaparecem, se aumentarem de intensidade, ou se mudarem de padrão.

Caso a dor evolua com choques, formigamentos, perda de força ou sensibilidade, pode ser sinal de alguma neuropatia associada.

Quase todo mundo sente dores musculares de vez em quando. Mas se a dor muscular persistir apesar do descanso, massagem e medidas semelhantes de autocuidado, marque uma consulta com seu médico.


Perguntas frequentes sobre Dor Miofascial

Dor miofascial tem cura?

Dor miofascial aguda (ou seja, com duração menor de 3 meses) pode ser curada. Dor miofascial crônica pode não ser curável, mas tem tratamento. Eventuais episódios de crise podem ter sua frequência e intensidade reduzidas com tratamento preventivo e de reabilitação adequado.

Os sintomas geralmente começam após eventos traumáticos ou atividades de uso excessivo. A maioria dos sintomas desaparece após algumas semanas. No entanto, alguns pacientes evoluem para dor crônica. A síndrome miofascial crônica persiste por 6 meses ou mais.

O tratamento conservador inclui modalidades como fisioterapia, cinesioterapia, terapia manual e liberação miofascial, acupuntura, agulhamento seco, e tratamento por ondas de choque. Medicamentos adjuvantes e analgésicos podem ser úteis.


Dor miofascial é a mesma coisa que fibromialgia?

A síndrome da dor miofascial envolve principalmente dor muscular; enquanto a fibromialgia inclui dores no corpo mais generalizadas, com outros sintomas, como dores de cabeça, problemas intestinais, fadiga e alterações de humor.

Embora não haja inflamação ou vermelhidão, o desconforto da fibromialgia aparentemente se move de uma parte do corpo para outra. A dor também pode ser acompanhada de fadiga, dor de cabeça, má qualidade do sono, problemas cognitivos e síndrome do intestino irritável (SII).

Devido à ampla gama de sintomas da fibromialgia, o American College of Rheumatology estabeleceu uma diretriz de diagnóstico para fibromialgia. Ele basicamente afirma que para um distúrbio de dor musculoesquelética crônica ser considerado fibromialgia, a dor deve ser:

  • Dor difusa no corpo
  • Dor presente por pelo menos 3 meses
  • Dor ocorrendo em 11 dos 18 tender points
  • Alterações de humor como depressão
  • Sintomas como insônia crônica, fadiga e alterações gastrointestinais

Além disso, o médico pode solicitar exames de sangue para descartar outras condições, como lúpus, artrite ou distúrbio da tireóide.


Existe cirurgia para tratamento de dor miofascial?

O tratamento de dor miofascial é geralmente clínico, com medidas farmacológicas e não farmacológicas. Em alguns casos, pode ser indicado medidas como infiltração de pontos gatilho, aplicação de toxina botulínica do tipo A.

Em raros casos, cirurgia pode ser indicada. Pode ser realizada uma pequena incisão na fáscia, e reconstrução do tecido local. Este procedimento deve ser realizado em um centro cirúrgico.


A síndrome dolorosa miofascial pode ser visualizada na ressonância magnética?

No momento, não. Existem protocolos de estudo em que se utilizam outros parâmetros na ressonância para se avaliar e quantificar a rigidez nas bandas tensas miofasciais.

No entanto, a ressonância é utilizada na prática clínica dos médicos para avaliar estruturas ósseas, ligamentares e nervosas. Por exemplo, para avaliação de dor na coluna, a ressonância serve para avaliar e afastar infecções, tumores na coluna.

Serve para avaliar presença de abaulamentos, protrusões e herniações discais, e se elas estão comprimindo nervos. Serve para afastar algumas lesões ligamentares. A ressonância visualiza os músculos da coluna, mas não consegue distinguir com facilidade pontos gatilhos miofasciais e bandas tensas neles.


O que faz a dor miofascial piorar?

A dor miofascial pode piorar se não for tratada por um período prolongado.

Além disso, você também pode sentir mais dor se o ponto-gatilho ou o músculo afetado for estirado.

Alguns medicamentos, a longo prazo, podem alterar o limiar de dor muscular, como em caso de abuso de opióides (como metadona, oxicodona)

Referências Bibliográficas

Referências Bibliográficas
1 Borg-Stein J, Simons DG. Myofascial pain. Archives of physical medicine and rehabilitation. 2002 Mar 1;83:S40-7.
2 Jafri MS. Mechanisms of myofascial pain. International scholarly research notices. 2014;2014.
3 Esenyel M, Caglar N, Aldemir T. Treatment of myofascial pain. American journal of physical medicine & rehabilitation. 2000 Jan 1;79(1):48-52.

Dr. Marcus Yu Bin Pai

CRM 158074 / RQE 65523, 65524 | Médico especialista em Acupuntura e Fisiatria pela USP. Área de Atuação em Dor pela Associação Médica Brasileira. Doutorado em Ciências pela Universidade de São Paulo. Professor e Colaborador do Grupo de Dor do Hospital das Clínicas da USP. Diretor do Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura (CMBA).

Compartilhe Esse Conteúdo
Facebook
Twitter
LinkedIn
Dr. Marcus Yu Bin Pai

Dr. Marcus Yu Bin Pai

CRM 158074 / RQE 65523, 65524 | Médico especialista em Acupuntura e Fisiatria pela USP. Área de Atuação em Dor pela Associação Médica Brasileira. Doutorado em Ciências pela Universidade de São Paulo. Professor e Colaborador do Grupo de Dor do Hospital das Clínicas da USP. Diretor do Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura (CMBA).

Últimos Posts

newsletter

Receba Novidades Por E-mail

Deixe um Comentário

Postagens Relacionadas

Como evitar queloides

Como evitar queloides?

Queloides são crescimentos dérmicos benignos que surgem através da cicatrização anormal de feridas em resposta a traumas ou inflamações anteriores da pele.  O desenvolvimento de

Continue Lendo
Pupila Dilatada

O que é Pupila Dilatada? Entenda!

A pupila, uma estrutura de grande importância em nosso sistema visual, apresenta complexidade em sua constituição. Seu tamanho varia em resposta a três categorias distintas

Continue Lendo
categorias

Pesquise por Categoria

Urologia

Sintomas

Reumatologia

Radiologia

Psiquiatria

Psicologia

Pediatria

Otorrinolarigonlogia

Ortopedia

Oncologia

Oftalmologia

Nutrição

Notícias

Neurologia

Neurocirurgia

Nefrologia

Medicina Esportiva

Mastologia

Infectologia

Ginecologia e Obstetrícia

Gerontologia

Geriatria

Gastroenterologia

Fisioterapia

Fisiatria

Farmácia

Endocrinologia

Educação Física

Dor

Doenças

Dermatologia

Curiosidades

Clínica Médica

Cirurgia Vascular

Cirurgia Plástica

Canabidiol

Biomedicina

Artigos

Alergia

Acupuntura

newsletter

Receba Novidades Por E-mail