Dedo em Gatilho: O que é? Causas, Sintomas e Tratamentos

Dedo em Gatilho

Fatos importantes

  • Dedo em gatilho é uma condição que faz com que um dedo fique preso em uma posição dobrada.
  • causada por inflamação nos tendões do dedo.
  • Os sintomas incluem dor, rigidez e sensação de estalo ou clique ao dobrar o dedo.
  • As opções de tratamento incluem repouso, imobilização e injeções de corticosteroides.
  • A cirurgia pode ser necessária para casos graves.

Introdução

O dedo em gatilho é uma condição que afeta os tendões da mão, fazendo com que um ou mais dedos ou o polegar “se prendam” ou “travem” em uma posição dobrada. Pessoas com dedo em gatilho podem sentir dor, sensação de estalo ou rigidez nos dedos. A condição é causada por um estreitamento da bainha que envolve os tendões do dedo, que pode resultar de inflamação ou outras causas.

PatologiaDefinição
Dedo no gatilho Um dos dedos ou polegar fica preso em uma posição dobrada e, em seguida, estala em com um movimento repentino e brusco.

O dedo em gatilho é uma condição comum e, embora afete pessoas de todas as idades, é mais provável que ocorra em pessoas com mais de 40 anos. As mulheres também são mais propensas a serem afetadas do que os homens.

Os fatores de risco para a condição incluem certas condições médicas, como diabetes, ou ocupações que envolvem movimentos frequentes de preensão ou repetidos com as mãos, como digitar ou tocar um instrumento musical.

As opções de tratamento para o dedo em gatilho variam dependendo da gravidade da condição. Os casos leves geralmente podem ser tratados com repouso, medicamentos de venda livre e talas. Casos graves podem exigir injeções de esteroides ou cirurgia para aliviar os sintomas.

Sintomas

Dedo em Gatilho dor nos dedos
Dedo em Gatilho dor nos dedos
  • Travamento do dedo: o dedo travará em uma posição dobrada e não poderá ser endireitado.
  • Dor: a dor é sentida na base do dedo perto da palma.
  • Som de clique ou estalo: quando o dedo é dobrado, um som de clique ou estalo pode ser ouvido.
  • Sensibilidade: a área na base do dedo pode ser sensível ao toque.
  • Inchaço: a área ao redor da articulação do dedo afetada pode estar inchada.
  • Rigidez: o dedo afetado pode parecer rígido e difícil de mover.
  • Dificuldade em segurar objetos: você pode ter dificuldade em segurar objetos.
  • Dedo travado em uma posição dobrada: O dedo pode estar travado em uma posição dobrada e incapaz de endireitar.

SintomaDescrição
InchaçoOs tendões ao redor da articulação afetada ficam inchados, causando dor e desconforto.
RigidezA articulação afetada pode parecer rígida e difícil de mover.
EstalidoA articulação afetada pode parecer que estala ou prende quando é movida.
DorA dor pode ser sentida quando a articulação afetada é movida.
FraquezaA articulação afetada pode parecer fraca e dolorida ao usar.

Causas comuns de dedo em gatilho

  • Atividades repetitivas: movimentos repetidos da mesma parte do corpo podem causar dedo em gatilho.
  • Diabetes: pessoas com diabetes são mais propensas a desenvolver dedo em gatilho.
  • Artrite reumatóide: a inflamação dos tendões das mãos e dos dedos pode causar dedo em gatilho.
  • Gota: a gota é uma forma de artrite causada pelo acúmulo de cristais de ácido úrico na articulação.
  • Tumores: tumores das mãos e dedos podem pressionar os tendões e causar dedo em gatilho.
  • Lesão na mão: Lesão na mão pode causar cicatrizes na bainha do tendão, levando ao dedo em gatilho.
  • Infecção: a infecção da bainha do tendão também pode levar ao dedo em gatilho.
  • Inflamação: a inflamação da bainha do tendão pode fazer com que o tendão fique preso, resultando em dedo em gatilho.

Diagnóstico

O dedo em gatilho é diagnosticado por meio de um exame físico. O seu médico irá verificar se há sensibilidade, inchaço ou nódulo na palma da sua mão. Ele ou ela pode pedir que você mova o dedo para ver se ele trava ou trava. As imagens de raio-X podem ser usadas para descartar outras causas de dor, como artrite.

Seu médico também pode realizar um teste de Finkelstein, que envolve dobrar o dedo afetado e fechar o punho com o polegar dentro dos dedos. Se isso causar dor no dedo afetado, pode indicar dedo em gatilho. Em alguns casos, um médico pode realizar uma ultrassonografia para confirmar o diagnóstico.

Seu médico também pode recomendar que você descanse o dedo, use uma tala ou tome medicamentos anti-inflamatórios, como o ibuprofeno, para diminuir o inchaço. Em casos graves, pode ser necessária cirurgia para corrigir a condição.

Nome do exameDescrição
Teste de sensibilidadeO médico pressionará a área afetada para verificar se há sensibilidade.
Teste de preensãoO médico pedirá ao paciente para tentar fechar o punho e depois abri-lo.
Teste de FinkelsteinO médico pedirá ao paciente para fechar o punho e depois dobrar o polegar em direção à palma.
Teste de amplitude de movimentoO médico pedirá ao paciente para mover o dedo afetado para verificar a rigidez.
Exames radiológicosEste teste envolve tirar raios-X ou exames de ressonância magnética para verificar se há anormalidades.
UltrassomEste teste usa ondas sonoras para criar imagens da área afetada.

Diagnóstico diferencial de dedo em gatilho

  • Tendinite: Inflamação da bainha do tendão devido a atividades repetitivas ou uso excessivo.
  • Artrite Reumatoide: Uma doença autoimune que causa inflamação das articulações.
  • Gota: Um tipo de artrite causada por excesso de ácido úrico no corpo.
  • Síndrome do Túnel do Carpo: Uma condição causada pela compressão do nervo mediano no pulso.
  • Cistos ganglionares: Cistos cheios de líquido que podem se formar na bainha do tendão.
  • Síndrome de DeQuervain: Uma condição causada pela inflamação dos tendões do pulso.

Possibilidades iniciais de tratamento

O tratamento inicial para o dedo em gatilho pode incluir repouso, talas e medicamentos anti-inflamatórios. Descansar o dedo afetado é importante para reduzir a inflamação e a irritação. A imobilização do dedo pode ajudar a mantê-lo em uma posição reta, reduzindo as chances de travamento.

Medicamentos anti-inflamatórios podem ser tomados por via oral ou aplicados topicamente para reduzir o inchaço e o desconforto.

A fisioterapia pode ser recomendada para ajudar a reduzir os sintomas, melhorar a amplitude de movimento e fortalecer o dedo afetado. O terapeuta pode fornecer exercícios de alongamento e recomendar o uso de tala terapêutica.

Injeções de medicamentos corticosteroides podem ser usadas para reduzir a inflamação e aliviar a dor.

A importância da fisioterapia para a reabilitação do dedo em gatilho

  • A fisioterapia desempenha um papel significativo na reabilitação do dedo em gatilho. Pode ajudar a reduzir a dor, rigidez e fraqueza no dedo ou polegar afetado.
  • Exercícios de fisioterapia podem melhorar a amplitude de movimento e a força de preensão no dedo afetado. Isso pode ajudar a diminuir a sensação de disparo e melhorar a função geral do dedo ou do polegar.
  • A fisioterapia também pode ajudar a reduzir a inflamação na área afetada, melhorando o conforto geral e permitindo um melhor movimento.
  • Técnicas de terapia manual, como massagem e mobilização articular, podem ajudar a reduzir a rigidez e melhorar a flexibilidade do dedo afetado.
  • Ensinar ao paciente exercícios específicos para ajudar a manter a amplitude de movimento e a força de preensão, bem como estratégias para reduzir a inflamação e o inchaço.
  • Educação ao paciente sobre como realizar atividades adequadamente para evitar agravamento do dedo em gatilho, bem como controlar a dor.
  • A fisioterapia pode ajudar a prevenir novos episódios de dedo em gatilho, bem como reduzir o risco de complicações.

Medicamentos para tratamento do dedo em gatilho

  • Anti-inflamatórios não esteróides (AINEs) esses medicamentos reduzem a inflamação, o inchaço e a dor associados ao dedo em gatilho.
  • Corticosteróides: Esses medicamentos reduzem a inflamação e permitem um melhor movimento do dedo afetado.
  • Injeções de lidocaína: essas injeções podem ajudar a reduzir a inflamação e a dor associadas ao dedo em gatilho.

Vou precisar de cirurgia?

Se nenhum desses tratamentos for eficaz, a cirurgia pode ser recomendada. A cirurgia envolve a liberação da bainha do tendão para permitir que o tendão se mova livremente novamente.

O tratamento pós-operatório pode envolver fisioterapia, talas e medicamentos anti-inflamatórios.

O prognóstico para o tratamento cirúrgico geralmente é muito bom.

Prevenção

O dedo em gatilho é uma condição comumente causada por atividades repetitivas, como segurar uma ferramenta ou tocar um instrumento musical. Para evitar o dedo em gatilho, é importante evitar atividades que envolvam movimentos repetitivos do dedo afetado. Também é benéfico aquecer a mão antes de iniciar qualquer atividade que envolva o uso do dedo.

Alongamento e massagem podem ser usados ​para reduzir a tensão no dedo afetado.

Ao se envolver em atividades que possam estar associadas ao dedo em gatilho, é importante fazer pausas frequentes. Durante essas pausas, é benéfico mover o dedo em diferentes direções para reduzir a rigidez. Se a condição for causada por artrite, é importante manter um peso saudável e manter as articulações flexíveis fazendo exercícios de baixo impacto, como ioga, natação e caminhada.


Qual ​é o prognóstico do dedo em gatilho?

O prognóstico para o dedo em gatilho é geralmente bom, com a maioria dos casos respondendo bem ao tratamento. Geralmente, os sintomas podem ser controlados com medidas simples, como repouso, talas e evitar atividades que agravam a condição.

Se medidas mais conservadoras não fornecerem alívio, pode ser necessária intervenção cirúrgica para liberar a bainha do tendão apertada. Em geral, o tratamento cirúrgico consegue liberar o tendão em mais de 90% dos casos, com a maioria dos pacientes recuperando toda a amplitude de movimento.

O prognóstico do dedo em gatilho também é afetado pela causa subjacente. Pacientes com diabetes, por exemplo, podem ter uma recuperação mais difícil, pois a condição pode causar maior deterioração dos tendões.

Além disso, quaisquer patologia e alterações metabólicas subjacentes que possam estar contribuindo para o dedo em gatilho devem ser tratadas para alcançar o melhor resultado possível.

Dr. Carlos Roberto Babá

CRM-SP 47825 / RQE 12910, 19925.

Médico especialista em Ortopedia, Traumatologia e Acupuntura.

Médico Colaborador do Grupo de Dor do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP).

Membro Titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia (SBOT).

Atuação na Área Clínica e de Ensino Médico.

Compartilhe Esse Conteúdo
Facebook
Twitter
LinkedIn
Dr. Carlos Roberto Babá

Dr. Carlos Roberto Babá

CRM-SP 47825 / RQE 12910, 19925.

Médico especialista em Ortopedia, Traumatologia e Acupuntura.

Médico Colaborador do Grupo de Dor do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP).

Membro Titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia (SBOT).

Atuação na Área Clínica e de Ensino Médico.

Últimos Posts

newsletter

Receba Novidades Por E-mail

Deixe um Comentário

Postagens Relacionadas

categorias

Pesquise por Categoria

Urologia

Sintomas

Reumatologia

Radiologia

Psiquiatria

Psicologia

Pediatria

Otorrinolarigonlogia

Ortopedia

Oncologia

Oftalmologia

Nutrição

Notícias

Neurologia

Neurocirurgia

Nefrologia

Medicina Esportiva

Mastologia

Infectologia

Ginecologia e Obstetrícia

Gerontologia

Geriatria

Gastroenterologia

Fisioterapia

Fisiatria

Farmácia

Endocrinologia

Educação Física

Dor

Doenças

Dermatologia

Curiosidades

Clínica Médica

Cirurgia Vascular

Cirurgia Plástica

Canabidiol

Biomedicina

Artigos

Alergia

Acupuntura

newsletter

Receba Novidades Por E-mail