Uso Abusivo de Laxantes E Consequências Graves Com Uso Indiscriminado

O QUE SÃO LAXANTES?

Os laxantes são medicamentos utilizados para estimular os movimentos intestinais, facilitando a evacuação e eliminação das fezes, promovem a defecação, tendo sua ação no aumento da excreção de água fecal.

A ação dos laxantes se dá atraindo líquido para ação intestinal ou causando algum tipo de irritação.

Vale ressaltar que os laxantes também são utilizados em doses mais elevadas e de forma esporádica apenas antes de realização de exames que exijam uma limpeza completa do cólon.

Por suas propriedades hidrofílicas ou osmóticas os laxantes podem causar retenção de líquido no conteúdo colônico, aumentando assim, o volume e o amolecimento e, facilitando o trânsito intestinal.

Podem agir direta ou indiretamente sobre a mucosa colônica diminuindo a absorção total de água e de cloreto de sódio, os laxantes podem ainda, aumentar a motilidade intestinal causando diminuição da absorção de sal e água.

O ideal é que o uso de laxante seja feito a partir da recomendação de um especialista, pois apesar de existirem laxantes que são relativamente inofensivos, porém quando consumido de forma indiscriminada pode ser prejudicial à saúde, causando inclusive dependência.

Essa dependência pode ocasionar várias patologias e causar complicações sérias.


Como Os Laxantes São Classificados?

Laxantes Estimulantes: Estimulam o peristaltismo e alteram a secreção de água e eletrólitos, produzindo acúmulo de líquido no intestino grosso (óleo de rícino, bisacodil, sene, cascara sagrada).

Laxantes Osmóticos: Atraem água para o intestino grosso tornando as fezes mais fluidas (sais de magnésio, fosfatos de sódio e de potássio).

Laxantes Emolientes: Capacidade de atrair e concentrar água no intestino grosso, tornando as fezes mais fluidas, e melhora na motilidade intestinal.


O Que É Considerado Prisão de Ventre?

prisao ventre

Muitas pessoas acham que é necessário evacuar todos os dias a fim de ter uma boa saúde, contudo pode variar de pessoa para pessoa, a depender do tipo de alimentação, faixa etária, ingesta de água, rotina de atividade física do paciente, sendo considerado normal ir ao banheiro no mínimo três vezes por semana.

A prisão de ventre, constipação é comum em mulheres devido aos hormônios femininos, e afeta cerca de 20% da população brasileira. Existem doenças como diverticulite, câncer colorretal podem ser motivos de constipação, entretanto os hábitos de má alimentação, ingesta de água contribuem para problemas intestinais.

Portanto, inicialmente deve ser considerado alguns sintomas e avaliado o quadro clínico do paciente para que o uso do laxante seja feito de modo adequado.

Desde quando o paciente relata a queixa da prisão de ventre, solicitar uma colonoscopia para entender se há algum motivo não aparente para as queixas, quais são os hábitos alimentares, é válido considerar o processo de envelhecimento, pois ocorrem algumas modificações no sistema digestivo como: dificuldade para mastigação e deglutição, diminuição da musculatura faríngea e colônica.

Em suma as causas mais comuns da constipação incluem alterações na dieta, medicamentos que desaceleram o intestino, defecação desordenada, síndrome do intestino irritável (com sintoma predominante constipação) e uso abusivo de laxantes.


Risco do Uso Abusivo de Laxantes

Devido à venda dos laxantes ser sem receita, tornou-se muito comum a automedicação e o uso constante de laxante por quem sofre com constipação, ou utilizado para outros fins que não prisão de ventre, associados a perda de peso e a transtornos alimentares como bulimia e anorexia.

Embora muitas pessoas façam o uso de laxantes com o objetivo de emagrecer, este medicamento serve para tratar prisão de ventre.

Portanto não promovem a perda de gordura, mas sim um esvaziamento gástrico devido à perda de líquidos dando uma falsa sensação de perda de peso, devido à redução do inchaço.

Contudo com o uso exacerbado podem fazer com que o intestino funcione apenas com o estímulo da medicação, a pessoa passa a ter que tomar doses cada vez maiores, podendo levar a problemas de saúde que não estão relacionados ao intestino, tais como problemas cardíacos ou renais devido à eliminação de eletrólitos importantes, como cálcio, além de vitaminas e nutrientes.

Quando a pessoa está sem defecar por muitos dias, as fezes podem se tornar muito ressecadas, podendo ocasionar fissuras e/ou hemorroidas. O uso contínuo de laxantes irrita a mucosa intestinal e consequentemente prejudica a microflora.

Além disso, causa desidratação, diarreia, cólicas intensas, hemorroidas, disbiose, síndrome do intestino irritável, bem como a perda de micronutrientes devido à má absorção. Além de causar mal ao intestino, podem prejudicar a absorção de outros tipos de medicamentos.


anorexia


Como Reduzir O Uso de Laxantes?

Depois de muito tempo utilizando laxante, pode ser difícil fazer o desmame, principalmente dos laxantes estimulantes e irritativos que causam maior dependência. Contudo, existem algumas tentativas para abandonar o uso, tais como:

  • Iniciar com uma dieta para melhora da motilidade intestinal
  • Uso de fibras e probióticos
  • Aumenta da ingesta de água
  • Realizar atividade física regulamente

Enquanto está sendo realizado o desmame, o paciente poderá sentir uns efeitos desagradáveis como retenção de líquido, ganho provisório de peso, sensação de estômago inchado e prisão de ventre.

Nem sempre hidratação, uma alimentação saudável, a adequação da quantidade de fibras na dieta e a prática de exercícios físicos são suficientes para corrigir o quadro de constipação. Entretanto, quando essas medidas não são capazes de reverter o quadro, a administração de laxantes pode ser necessária.

Contudo, o uso dos laxantes deve ser feito na menor dose possível e por um curto período, sempre considerando a prescrição médica, para evitar todos os efeitos colaterais já mencionados acima.

Por fim e não menos importante, no ato da dispensação dos laxantes é de extrema importância que o farmacêutico se atente às queixas de quem sofre prisão de ventre, fornecendo as informações necessárias e identificando os possíveis casos de uso abusivo e indiscriminado desses medicamentos

Bem como encaminhado ao serviço médico quando paciente relatar episódios de abdômen estendido, timpânico à percussão (quando ao toque emite sons semelhantes a um tambor), vômitos, sangue nas fezes, perda de peso, obstipação grave de início recente, e a faixa etária do paciente.

Priscila Beraldo

CRF PR 24-980
Farmacêutica Bioquímica.
Profissional com 10 anos de mercado, graduada em Farmácia Bioquímica, pós graduada em Gestão da Qualidade e Regularização de Produtos perante Anvisa, atuando nas áreas de planejamento, implementação de Sistema de Gestão da Qualidade, gerenciamento de processos, responsável técnica, representando empresas perante os órgãos sanitários e regulatórios.
Experiência na área de assuntos regulatórios (registro e pós-registro), com forte atuação em medicamentos e produtos para saúde. Consultora na abertura de empresas no âmbito da saúde, treinamentos com relação ao cuidado à saúde, nos âmbitos individual e coletivo bem como educação em saúde.

Compartilhe Esse Conteúdo
Facebook
Twitter
LinkedIn
Priscila Beraldo

Priscila Beraldo

CRF PR 24-980
Farmacêutica Bioquímica.
Profissional com 10 anos de mercado, graduada em Farmácia Bioquímica, pós graduada em Gestão da Qualidade e Regularização de Produtos perante Anvisa, atuando nas áreas de planejamento, implementação de Sistema de Gestão da Qualidade, gerenciamento de processos, responsável técnica, representando empresas perante os órgãos sanitários e regulatórios.
Experiência na área de assuntos regulatórios (registro e pós-registro), com forte atuação em medicamentos e produtos para saúde. Consultora na abertura de empresas no âmbito da saúde, treinamentos com relação ao cuidado à saúde, nos âmbitos individual e coletivo bem como educação em saúde.

Últimos Posts

newsletter

Receba Novidades Por E-mail

Deixe um Comentário

Postagens Relacionadas

categorias

Pesquise por Categoria

Urologia

Sintomas

Reumatologia

Radiologia

Psiquiatria

Psicologia

Pediatria

Otorrinolarigonlogia

Ortopedia

Oncologia

Oftalmologia

Nutrição

Notícias

Neurologia

Neurocirurgia

Nefrologia

Medicina Esportiva

Mastologia

Infectologia

Ginecologia e Obstetrícia

Gerontologia

Geriatria

Gastroenterologia

Fisioterapia

Fisiatria

Farmácia

Endocrinologia

Educação Física

Dor

Doenças

Dermatologia

Curiosidades

Clínica Médica

Cirurgia Vascular

Cirurgia Plástica

Canabidiol

Biomedicina

Artigos

Alergia

Acupuntura

newsletter

Receba Novidades Por E-mail