Lesões Esportivas mais Comuns

lesoes esportivas comuns

O termo lesão esportiva, no sentido mais amplo, refere-se aos tipos de lesões que ocorrem mais comumente durante a prática de esportes ou de exercícios.

Algumas lesões esportivas resultam de acidentes; outras se devem a execução errada durante um treino, equipamento inadequado, falta de condicionamento, ou aquecimento e alongamento insuficientes.

Toda vez que você pisa em campo, seja qual for o esporte ou exercício e independente da localização, sempre correrá o risco de algum tipo de lesão.

Por mais remota que seja essa possibilidade, a qualquer momento, o desgaste repetido do seu corpo acaba se acumulando, levando a um estresse excessivo nos músculos e articulações que levam a lesões.

Por via de regra, ouça seu corpo e faça o melhor possível para distinguir a dor boa (como a fadiga comum), das dores, formigamentos e choques ruins; a fadiga excessiva.

Esforçar-se para fazer as últimas repetições pode parecer uma boa ideia a curto prazo, mas pode arruinar o progresso a longo prazo com uma lesão prejudicial e persistente.

Neste texto, falaremos sobre as lesões esportivas mais comuns que você vai querer evitar. Esteja consciente delas enquanto pratica esportes ou malha, já que qualquer uma delas seria um como balde de água fria nos seus treinamentos — para não mencionar a dor que vem junto.

File:Projectional radiography of calcaneal spur.jpg - Wikimedia Commons

1. Fascite Plantar

Muitas vezes é o resultado indesejado de estresse repetido nos pés, a fascite plantar é uma condição dolorosa que ocorre quando o tendão que se estende ao longo do arco do pé sofre tensão, provocando a sensação de aperto e de que ele não está tão flexível como deveria.

Os sintomas variam, mas muitos com a condição relatam sentir dores incômodas ou mesmo agudas a cada passo dado. Que por sua vez, é algo que poderia fazê-lo ter ciúmes de alguém capaz de andar sem dor, então faça tudo ao seu alcance para evitá-lo.

Causas:

Um regime que inclui muita corrida ou arrancadas é, muitas vezes,  a causa.| Junte isso a outros fatores como ter pés chatos ou usar calçados inadequados que não fornecem apoio suficiente, e terá uma receita para o desastre. Outros fatores podem incluir: obesidade, trauma ou algo simples como permanecer tempo demais de pé — daí a razão pela qual já foi chamada pelos americanos de “calcanhar do policial”.

Dicas de reabilitação:

Infelizmente, a fascite plantar não desaparece do dia para a noite. É um processo gradual, e é necessário ser paciente. Role o arco de seu pé sobre uma bolinha, uma garrafa de água congelada, ou um rolo de massa por cinco minutos de cada vez, para esticar o tendão tensionado. Usar à noite uma tala prescrita por um podólogo, trocar os tênis a cada dois meses, usar meias mais grossas e esticar seu tendão de Aquiles também deve ajudar a devolver a confortabilidade aos seus pés.

2. Torção de tornozelo

Causas: Uma torção de tornozelo refere-se a uma lesão de tecidos moles, em geral dos ligamentos” ao girá-los durante a atividade física.

Como se é sabido, a torção do tornozelo é aquela lesão comum nos esportes que costuma resultar de se torcer o tornozelo — talvez de aterrissar, de forma incorreta, de um salto, pisar em falso, ou apenas de se perder o equilíbrio durante uma corrida.

Dicas de reabilitação: o método RICE (Rest, Ice, Compression and Elevation) — descanso, gelo, compressas e elevação — para lidar com as torções de tornozelo de forma eficaz. Assim que a dor diminuir, volte a fazer exercícios como: usar uma bicicleta ergométrica e, em seguida, passe para exercícios estáticos de equilíbrio enquanto também fortalece o quadríceps, os isquiotibiais e os glúteos para aumentar a estabilidade do tornozelo.

Exercícios leves de pliometria antes de retornar de vez comas atividades regulares. Retomar a rotina regular, logo após a recuperação, só traz um maior risco de sofrer outra torção, o que poderia ser ainda mais doloroso e prejudicial para os ligamentos do tornozelo.

Lesão do ligamento cruzado anterior ou LCA, já ouviu falar? | Bauerfeind  Brasil

3. Distensão do ligamento cruzado anterior (LCA)

O ligamento cruzado anterior é um ligamento que se estende por trás do joelho, entre o fêmur (osso da coxa) e da tíbia (osso da canela). Distensões podem servir como um lembrete para buscar o fortalecimento das pernas assim que se consegue voltar à forma anterior a distensão.

Causas: A maioria das distensões do LCA pode ser atribuída à desaceleração repentina, como tentar parar rápido demais, ou mudar de direção depressa, ou de hiperextensão do joelho, ou de girar o corpo no lugar. Diversos esportes produzem estresse para a área inferior a este ligamento, então se você não está com o físico apto para um esporte como o basquete ou o futebol, pode ser arriscado se jogar de cabeça nessas atividades.

Dicas de reabilitação: A prioridade do praticante deve ser alongar os isquiotibiais. Fortalecer o quadríceps e os glúteos também é importante. A recuperação ativa deve começar com “deslizar o calcanhar sobre um peso, levantamentos de perna estendida em diversas posições… exercícios de perna com elástico e exercícios para os posteriores da coxa.

5. Distensão dos isquiotibiais

Causas: De forma simples, as lesões nos isquiotibiais acontecem quando se alonga demais os músculos. Arrancadas e qualquer esporte que exija uma grande carga de estresse nas pernas colocam os praticantes em risco de uma distensão deste tipo. Esportes que demandam correr, pular e chutar causam a maioria das lesões de tendão.

Como na distensão do quadríceps, a distensão dos posteriores pode variar muito em gravidade, de torções musculares (lesões de grau 1) a rompimentos totais do músculo (grau 3).

Dicas de reabilitação: Uma grande parte da recuperação destas lesões é feita por certificar-se de fazer exercícios que reconstruam o músculo em vez de permitir a formação de tecido cicatricial, prevenindo de forma eficaz a reincidência da lesão.

O processo de reabilitação ativa começa com exercícios isométricos que contraem os músculos, mas não movimentam as articulações e, em seguida, passar para exercícios com pesos leves antes de partir para um exercício mais vigoroso, de modo que o retorno a forma anterior à lesão seja estável. E, com sorte, seja com um fortalecimento extra para evitar problemas futuros.

O que é bursite trocantérica ou do quadril? - SBQ | Sociedade Brasileira do  Quadril

6. Bursite do Quadril

A bursite do quadril causa dor no lado externo da parte superior da coxa. A condição refere-se a bursa, que é um saco repleto de líquido que torna possível o movimento eficiente entre duas superfícies irregulares.

Quando o saco da bursa sobre a parte externa do quadril fica inflamado, impede o funcionamento eficaz, tornando o ato de mover-se doloroso.

Causas: A bursite do quadril é comum em indivíduos mais velhos, mas também afeta pessoas mais jovens que são muito ativas. Embora, muitas vezes, possa acontecer depois de um impacto forte no quadril, ainda é mais um exemplo de uma lesão causada por uso excessivo, proveniente de atividades como correr, andar de bicicleta, ou caminhar longas distâncias.

Dicas de reabilitação: Aumentar a força e a coordenação nos músculos dos glúteos e do quadril permite que o fêmur mova-se de maneira mais suave na cavidade do quadril e pode ajudar a reduzir o atrito na bursa.

7. Lombalgia

Causas: Muitas lesões podem causar dor lombar, e é uma condição que pessoas mais ativas têm familiaridade em diversos graus. Marque uma visita ao seu médico se vivenciar um início mais doloroso dessa dor do que o de costume. Contudo, em geral é algo a se manter atento.

A maioria destas lesões lombares ocorre pela execução incorreta de exercícios de levantamento de peso entre outros exercícios, de trauma, de esportes ou até mesmo por dormir de mau jeito.

Dicas de reabilitação:

Há várias coisas que você pode fazer para estabilizar as costas depois que uma crise de dor o incapacitar de algum modo. Se parecer grave, consulte o médico. Então, quando for possível, volte a exercitar os glúteos, os isquiotibiais e o trapézio.

Exercícios de mobilidade da coluna vertebral como alongamento com as posições do gato/camelo e “open book” (pilates), prancha, e aplicar a técnica e a posição corretas em várias atividades são necessárias para evitar mais problemas nas costas.

8. Cotovelo de tenista / Dor de cotovelo / epicondilite lateral

Causas: O cotovelo de tenista é uma condição causada pelo uso excessivo dos músculos do braço, antebraço e mão. Refere-se a uma lesão da área de músculos e tendões que envolvem parte externa do cotovelo. Claro, muitas vezes afeta tenistas com técnica pobre de “backhand”, mas fazer várias outras atividades que exigem muito dos músculos em questão também pode acarretar tal lesão.

Dicas de reabilitação:

Primeiro e acima de tudo, comece com repouso. É importante deixar os músculos e tendões se curarem por conta própria, e exercícios para devolver seu braço a sua condição prévia envolvem o fortalecimento dos músculos opostos, fazendo uma série de rotinas de treino diferentes para os antebraços.

Dr. João Arthur Ferreira

CRM-SP 19759 / RQE 3179 Atua no tratamento de reabilitação em atletas, dor aguda e dor crônica (cervicalgia, lombalgia, enxaqueca). Médico especialista em Fisiatria e Acupuntura Coordenador do CEIMEC – Centro de Estudo Integrado de Medicina Chinesa – Curso de Pós-Graduação em Acupuntura Médica, reconhecida pelo CMBA (Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura).
Membro Titular da Sociedade Brasileira de Medicina Física e Reabilitação (SBMFR).
Ex-Colaborador do Grupo de Dor do Departamento de Neurologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

Compartilhe Esse Conteúdo
Facebook
Twitter
LinkedIn
Dr. João Arthur Ferreira

Dr. João Arthur Ferreira

CRM-SP 19759 / RQE 3179 Atua no tratamento de reabilitação em atletas, dor aguda e dor crônica (cervicalgia, lombalgia, enxaqueca). Médico especialista em Fisiatria e Acupuntura Coordenador do CEIMEC – Centro de Estudo Integrado de Medicina Chinesa – Curso de Pós-Graduação em Acupuntura Médica, reconhecida pelo CMBA (Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura).
Membro Titular da Sociedade Brasileira de Medicina Física e Reabilitação (SBMFR).
Ex-Colaborador do Grupo de Dor do Departamento de Neurologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

Últimos Posts

newsletter

Receba Novidades Por E-mail

Deixe um Comentário

Postagens Relacionadas

Como evitar queloides

Como evitar queloides?

Queloides são crescimentos dérmicos benignos que surgem através da cicatrização anormal de feridas em resposta a traumas ou inflamações anteriores da pele.  O desenvolvimento de

Continue Lendo
Pupila Dilatada

O que é Pupila Dilatada? Entenda!

A pupila, uma estrutura de grande importância em nosso sistema visual, apresenta complexidade em sua constituição. Seu tamanho varia em resposta a três categorias distintas

Continue Lendo
categorias

Pesquise por Categoria

Urologia

Sintomas

Reumatologia

Radiologia

Psiquiatria

Psicologia

Pediatria

Otorrinolarigonlogia

Ortopedia

Oncologia

Oftalmologia

Nutrição

Notícias

Neurologia

Neurocirurgia

Nefrologia

Medicina Esportiva

Mastologia

Infectologia

Ginecologia e Obstetrícia

Gerontologia

Geriatria

Gastroenterologia

Fisioterapia

Fisiatria

Farmácia

Endocrinologia

Educação Física

Dor

Doenças

Dermatologia

Curiosidades

Clínica Médica

Cirurgia Vascular

Cirurgia Plástica

Canabidiol

Biomedicina

Artigos

Alergia

Acupuntura

newsletter

Receba Novidades Por E-mail