Pés Inchados: O Que Pode Ser?

PÉS INCHADOS, condição conhecida como edema periférico, é caracterizada por um acúmulo de líquido nos pés.

O edema periférico é um problema muito comum na prática médica diária. Edema refere-se ao acúmulo de líquido no espaço intersticial.

Os edemas podem ter pequenas dimensões, localizados, por exemplo, em uma extremidade de um membro, como ocorre nos pés, ou pode ter grandes dimensões, envolvendo cavidades.

O mecanismo do edema é complexo e está relacionado a quebra dos processos que controlam a distribuição do volume de líquido no espaço intersticial.

O inchaço nos pés acontece quando o sistema circulatório está apresentando dificuldade no processo de bombeamento do sangue do coração para os pés. Logo, ter pés inchados pode indicar que sua circulação sanguínea não está trabalhando da forma que deveria.

Um inchaço, quando é ocasional, não costuma ser grave. Caso persista, pode indicar algum problema mais sério de saúde. Por isso, é importante consultar um médico sempre que o inchaço nos pés não desaparecer ou ocorrer repetidamente, para que ele determine se há uma causa subjacente.


Causas do inchaço nos pés

O inchaço nos pés é comum em determinados momentos da vida, como na velhice ou durante a gravidez.

Por isso, é essencial que se investigue as causas que estejam provocando o inchaço nos pés, se não houver nenhum motivo aparente. A seguir, veja algumas das principais causas que podem estar associadas ao inchaço nos pés.

1. Envelhecimento: Quando chega a velhice, os vasos sanguíneos enfraquecem e isso faz com que os pés sejam afetados. A pessoa idosa passa a apresentar um desgaste natural no corpo, adquirindo menos eficiência no seu sistema circulatório. Dessa forma, é comum que idosos estejam mais propensos a desenvolver problemas, como inchaço nos pés.

2. Gravidez: Durante a gravidez, principalmente no terceiro trimestre, as mulheres retêm líquidos extras. O inchaço se desenvolve em várias partes do corpo, incluindo as pernas e os pés. O sangue circulante nos pés tem mais dificuldade para ser transportado ao coração.

3. Período menstrual: O inchaço nos pés em mulheres que possuem um ciclo mensal menstrual está relacionado a alterações hormonais que ocorrem durante esses dias específicos. Durante o período menstrual, o edema nos pés é comum e não requer tratamento, pois se resolve espontaneamente.

4. Obesidade: Problemas de inchaço nos pés podem ocorrer depois de ganhar quilos em excesso. É o corpo compensando a maneira como ele se locomove. Os pés se ajustam para carregar mais peso e, como efeito colateral do ganho de peso, o inchaço e a dor nos pés se tornam constantes. Além disso, a obesidade também dificulta a circulação sanguínea, comprometendo os vasos sanguíneos, o que resulta em inchaço nas pernas e nos pés.

5. Viagens: Permanecer sentado por muitas horas, como acontece em viagens de carro ou aéreas, pode causar inchaço nos membros inferiores, pois o sangue não circula corretamente. Se faz parte da sua rotina viajar por períodos prolongados, esteja sempre em contato com seu médico, pois isso pode ser prejudicial para a sua circulação sanguínea, podendo provocar até mesmo coágulos.

6. Doença renal: A doença renal é caracterizada como a incapacidade dos rins de cumprirem adequadamente sua função, que é filtrar os resíduos do sangue. Um dos sintomas da doença renal é o inchaço nas pernas e nos pés.

7. Insuficiência cardíaca: A insuficiência acontece em decorrência de um coração enfraquecido, prejudicando o bombeamento do sangue. Essa condição pode levar a inchaço abdominal e nos membros inferiores, incluindo os pés.  Na falta de um tratamento cauteloso e de emergência, a insuficiência cardíaca pode ser fatal.

8. Doença Venosa Crônica: Na doença venosa crônica, as veias das pernas não são capazes de bombear sangue suficiente de volta ao coração, visto que as válvulas nas veias encontra-se danificadas, provocando acúmulo de líquido nos pés e, em alguns casos, úlceras na pele.

9. Cirrose: Essa é uma doença crônica no fígado que se desenvolve através de uma cicatrização que pode obstruir o fluxo sanguíneo. Pessoas com cirrose manifestam inicialmente inchaço abdominal, que depois se expande para edema periférico.


cirrose 1


10. Medicamentos: Determinados medicamentos podem causar edema periférico em virtude da vasodilatação arteriolar mais seletiva. Os bloqueadores dos canais de cálcio, como as diidropiridinas, são exemplos de medicamentos que causam inchaço nos pés.

11. Linfedema: Após o tratamento do câncer, é possível que alguns pacientes sintam inchaço em alguma parte do corpo. É o linfedema, que se trata de um acúmulo de linfa no tecido adiposo.

O linfedema ocorre pelo transporte prejudicado de linfa, ocasionando em acúmulo de líquido linfático no interstício, principalmente nas extremidades, como os pés. Lembrando que o linfedema também pode ser causado por traumas, obesidade ou alguma infecção.


Diagnóstico do inchaço nos pés

O diagnóstico inicial deve se concentrar em descartar as principais causas sistêmicas, como insuficiência cardíaca, doença renal ou cirrose. Então, uma história completa do paciente é muito importante para minimizar testes desnecessários. 

Em casos de suspeita de doenças sistêmicas, exames específicos devem ser solicitados, como radiografia do tórax ou eletrocardiograma.

Exames laboratoriais básicos, como de creatinina sérica e de urina, devem ser feitos para doenças renais, com o objetivo de verificar proteinúria. A ultrassonografia renal também pode ser solicitada caso haja forte suspeita de doença renal.

A ultrassonografia Doppler pode ser recomendada pelo médico para confirmar o diagnóstico de insuficiência venosa crônica, caso haja suspeita.

Em suma, os exames serão solicitados e realizados de acordo com o histórico e as necessidades de cada paciente, pois inchaço nos pés pode ter variadas causas.


Tratamento

Quando não houver nenhuma doença associada ao inchaço nos pés, o indivíduo pode levantar as pernas acima do nível do coração para manter o inchaço reduzido, usando a gravidade.

Para pés inchados causados pela gravidez, as mulheres também podem elevar as pernas e evitar deitar de costas, para ajudar a melhorar a circulação do sangue e reduzir o inchaço.

A massagem nos pés é um ótimo tratamento que pode ser usado para edema nos pés, pois o movimento que as mãos fazem nos pés agem sob o fluido extravascular.

A hidroginástica é outra maneira de reduzir o edema no corpo e nos pés, visto que a água exerce uma força sobre o corpo, o que ajuda o retorno venoso.

O uso de bandagens também são excelentes alternativas, já que a compressão pode reduzir o inchaço, fornecendo efeito de alívio do edema nos pés.

pe enfaixado


Já ouviu falar em Reflexologia? Essa técnica envolve a aplicação de pressão em áreas reflexas das mãos ou pés, com o objetivo de produzir efeitos específicos nas demais áreas do corpo.

É uma terapia de cura natural que ajuda o corpo, a mente e a alma em muitos aspectos, e pode ainda reduzir o edema nos pés, pois os reflexos dos pés recebem tratamento de acupressão durante a sessão.

Em casos de doenças associadas, o tratamento é baseado de acordo com a condição, muitas vezes envolvendo medicamentos específicos para controlar os sintomas da doença existente.


Prevenção

Se você está sentindo inchaço nos pés, mas ainda não teve tempo de se consultar com um médico e procura medidas que ajudem a aliviar os sintomas, ou se você tem predisposição para inchaço nos pés e quer evitar que o problema se agrave, siga as dicas a seguir:

  • Distribua melhor o tempo em que você fica em pé e sentado;
  • Pratique exercícios físicos de baixo impacto, como natação e caminhadas; Exercícios ajudam a evitar o acúmulo de líquido nos pés;
  • Controle o seu peso;
  • Cuidado com a alimentação. Coma mais frutas, verduras, legumes e alimentos naturais;
  • Reduza o sódio da sua dieta. Sal em excesso pode piorar o edema, principalmente se você toma diuréticos;
  • Quando estiver deitado, eleve as pernas sob um travesseiro, ao nível do coração, para facilitar a circulação sanguínea.

Sintomas graves exigem tratamento imediato, principalmente se você já possui alguma doença cardíaca. Fique atento!


Referências

COELHO, E. B. Mecanismos de formação de edemas. Medicina, v. 37, p. 189-198. 2004.

GOYAL, A. et al. Peripheral Edema. National Library of Medicine, StatPearls, 2022.

WATANABE, Y. et al. Treatment of leg and foot edema in women. Women’s Health Open Journal, v. 3, n. 2, p. 68-73. 2017.

Dra. Celia Yunes Portiolli

CRM-SP 27971 / RQE 5148 – 19469 Médica Pediatra e Especialista em Acupuntura Área de Atuação em Dor pela AMB (Associação Médica Brasileira), Coordenadora do Curso de Especialização em Acupuntura do CEIMEC – Centro de Estudo Integrado em Medicina Chinesa Médica colaboradora do Ambulatório de Acupuntura do Centro de Dor da Neurologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

Compartilhe Esse Conteúdo
Facebook
Twitter
LinkedIn
Dra. Celia Yunes Portiolli

Dra. Celia Yunes Portiolli

CRM-SP 27971 / RQE 5148 – 19469 Médica Pediatra e Especialista em Acupuntura Área de Atuação em Dor pela AMB (Associação Médica Brasileira), Coordenadora do Curso de Especialização em Acupuntura do CEIMEC – Centro de Estudo Integrado em Medicina Chinesa Médica colaboradora do Ambulatório de Acupuntura do Centro de Dor da Neurologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

Últimos Posts

newsletter

Receba Novidades Por E-mail

Deixe um Comentário

Postagens Relacionadas

Como evitar queloides

Como evitar queloides?

Queloides são crescimentos dérmicos benignos que surgem através da cicatrização anormal de feridas em resposta a traumas ou inflamações anteriores da pele.  O desenvolvimento de

Continue Lendo
Pupila Dilatada

O que é Pupila Dilatada? Entenda!

A pupila, uma estrutura de grande importância em nosso sistema visual, apresenta complexidade em sua constituição. Seu tamanho varia em resposta a três categorias distintas

Continue Lendo
categorias

Pesquise por Categoria

Urologia

Sintomas

Reumatologia

Radiologia

Psiquiatria

Psicologia

Pediatria

Otorrinolarigonlogia

Ortopedia

Oncologia

Oftalmologia

Nutrição

Notícias

Neurologia

Neurocirurgia

Nefrologia

Medicina Esportiva

Mastologia

Infectologia

Ginecologia e Obstetrícia

Gerontologia

Geriatria

Gastroenterologia

Fisioterapia

Fisiatria

Farmácia

Endocrinologia

Educação Física

Dor

Doenças

Dermatologia

Curiosidades

Clínica Médica

Cirurgia Vascular

Cirurgia Plástica

Canabidiol

Biomedicina

Artigos

Alergia

Acupuntura

newsletter

Receba Novidades Por E-mail