Fazer dieta é caro? Pobre consegue fazer dieta?

Nós sempre temos a ideia de que precisamos desembolsar mais dinheiro do que o normal para comer bem e “fazer dieta”. Mas isso é mesmo verdade?

Antes de tudo, reforço aqui que alimentação não é ciência exata. Existem, de fato, pontos inquestionáveis, mas também existem evidências científicas as quais cada um pode interpretar de uma forma e explorar sua conduta.

Há linhas de atuação do profissional nutricionista, como a nutrição funcional, a nutrição esportiva ou a nutrição voltada para o veganismo, que nem sempre seguem uma mesma linha de pensamento. Mas não há certo e errado, existe conduta.


Primeiro ponto – qual a melhor dieta?

O primeiro ponto é que a melhor dieta é aquela a qual eu consigo seguir. Alimentar-se corretamente não é, jamais, sinônimo de comprar alimentos caros. Muito pelo contrário: muitas vezes os alimentos mais saudáveis são bem mais baratos.

Um prato com legumes, verduras e proteína magra, por exemplo, é bem mais barato que um fast food.
A questão é que vivemos em uma sociedade regulada pelo consumismo. E com alimentação não é diferente.

Às vezes ao conter no rótulo a informação “sem glúten” encarece o valor do produto em quase o triplo do seu valor original, por exemplo.

Mas por que o sem glúten é mais saudável? É esse o ponto.

Então quando a pergunta é: fazer dieta é caro? A resposta é DEPENDE. Seguir uma linha de conduta pode ser caríssima. Seguir as dicas da blogueira que recebe dinheiro para indicar os produtos que, muitas vezes, ela nem usa pode sair mais caro ainda.

Considerando uma alimentação para pessoas saudáveis, sem patologias específicas, eu vou mostrar aqui como grande parte da população brasileira, que não ganha milhares de reais todos os meses, pode se alimentar bem sem desembolsar muito mais para isso.

A intenção aqui não é desmerecer nenhum alimento, e sim mostrar que podemos comer bem com menos dinheiro, sim!

itens mercado

Farinha de trigo x Farinha de amêndoas

Muitos acham que é necessário excluir a farinha branca da alimentação para ser considerado saudável. Erroneamente, vale salientar.

Farinha de trigo não é nenhuma vilã, a menos que a pessoa tenha intolerância ao glúten, que é uma patologia e não deve ser generalizada para toda uma população.

Vamos aos números: 100 gramas de farinha de trigo contêm cerca de 360 calorias, enquanto 100 gramas de farinha de amêndoas contêm 620 calorias. O pior é quando chega no preço: o quilo da farinha de trigo custa em torno de R$ 4,99 e da farinha de amêndoas custa cerca de R$ 88,00.

Pasta de amendoim x Chocolate

Quando o assunto é doce, muitos acham que precisam cortar o chocolate de vez e acabam recorrendo a recursos alimentares como a pasta de amendoim para compensar a falta do doce.

Em 20 gramas de cada alimento encontramos cerca de 120 calorias na pasta de amendoim e 107 calorias no chocolate ao leite, além da pasta de amendoim ter muito mais gordura que o chocolate.

Considerando a porção comumente consumida, enquanto uma colher de sopa de pasta de amendoim custa cerca de R$ 0,50, 2 tabletes de chocolate ao leite custa R$ 0,40.

Queijo cottage x requeijão light

Uma colher de sopa de queijo cottage contém 30 calorias, cerca de 1 grama de carboidrato, 3,6 gramas de proteína e 1,3 gramas de gordura. Uma colher de sopa de requeijão light contém, praticamente, a mesma composição, com apenas um pouco mais de gordura.

Aproximadamente, 200 gramas de queijo cottage custa R$ 14,70, enquanto a mesma gramatura de requeijão light custa R$ 5,80. Praticamente o tripo do valor para produtos com composição semelhante.

Biscoito Fit x Bolacha água e sal

Biscoito fit à base de aveia: cerca de 3 unidades (35g) contém 141 calorias, 5,3 gramas de gordura e 20 gramas de carboidratos, com valor de, aproximadamente, R$ 5,00 pacote com 75 gramas (2 porções).

Biscoito água e sal: cerca de 6 unidades (30g) contém 127 calorias, 3,5 gramas de gordura e 20 gramas de carboidratos, valor de, aproximadamente, R$ 5,00 pacote com 400 gramas (6 porções). Um produto menos calórico e gorduroso e bem mais barato.

Doce diet zero açúcar x Doce normal

Em uma unidade de 20 gramas, na versão diet encontramos 111 calorias, 8,5 gramas de carboidratos e 7 gramas de gorduras, enquanto na versão normal encontramos 104 calorias, 9,7 gramas de carboidratos e 5,6 gramas de gorduras.

Ou seja, menos calorias e menos gorduras. Na tentativa de excluir o açúcar da dieta, acaba consumindo um alimento mais calórico e mais gorduroso. E mais caro: a versão normal custa R$ 0,50 a unidade, enquanto a diet custa R$ 1,99.

Leites vegetais x Leite desnatado

Enquanto 1 litro de leite desnatado custa por volta de R$ 5,00, a versão vegetal custa R$10,00.O “leite” (na verdade é um extrato) em sua versão vegetal não tem os mesmos nutrientes que o leite de vaca, sendo mais pobres em nutrientes e em proteína, fornecendo apenas carboidratos ou gorduras. São até mais calóricos que o leite de vaca, se compararmos a versão desnatada, posto que alguns deles são à base de gorduras, como o de amêndoas e o de coco.

Sal do Himalaia x Sal refinado

A grande vantagem entre o sal refinado e o do Himalaia está no teor de minerais: 1 grama de sal refinado contém 381 mg de sódio e o Sal do Himalaia contém 368 mg. Ainda, o sal do Himalaia tem até 84 outros minerais e oligoelementos.

Porém, considerando a quantidade de sal que consumimos no dia, o menor teor de sódio e a quantidade de minerais são ínfimas para fazer qualquer diferença no valor nutricional do alimento. Vamos a um exemplo: 1 grama de sal do himalaia contém 1,6 mg de cálcio.

A recomendação de consumo é de 1300 mg por dia desse micronutriente. Pensando que o recomendado de sal por dia é, no máximo, 5 gramas, o teor de cálcio nessa quantidade não seria referente nem a 0,6% do recomendado por dia.

Ao pensar no preço, não faz sentido pagar tão mais caro por uma baixa vantagem: o sal refinado custa cerca de R$ 2,00 o quilo, e o sal do Himalaia custa R$ 5,99 um pacote com 120 gramas.

Manteiga Ghee x Manteiga

A manteiga ghee é uma versão que, na sua preparação, remove-se a água e as proteínas da composição, mas os lipídios (a gordura) da manteiga comum são mantidos, assim como vitaminas e antioxidantes.

A quantidade de ácidos graxos saturados é exatamente igual ao da manteiga convencional. No geral, a ghee possui mais calorias e mais gorduras (incluindo a saturada): uma colher de sopa de ghee contém cerca de 9 gramas de gordura saturada e a mesma quantidade de manteiga tradicional possui 7 gramas, aproximadamente.

Os estudos demonstrando o benefício do consumo de ghee também não respaldam a grande vantagem desse alimento, considerando a diferença de valor: R$ 26,00 por 200g de manteiga ghee contra R$ 12,00 pela mesma quantidade de manteiga convencional.

Essas foram apenas algumas demonstrações de como é possível adaptar recomendações nutricionais e comer bem pagando menos. Se adicionássemos suplementos nessa lista, aumentaria ainda mais.

Temos a tendência de achar que suplemento é sempre mais saudável, mas a verdade é que tudo depende de um contexto. É perfeitamente possível fazer dieta sem pagar caro.

Leilane Lilian Araújo Leal

Nutricionista graduada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
Mestra em Nutrição pelo Programa de Pós-graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
Especialização em Nutrição Esportiva pela AVM Educacional.
Compartilhe Esse Conteúdo
Facebook
Twitter
LinkedIn
Leilane Lilian Araújo Leal

Leilane Lilian Araújo Leal

Nutricionista graduada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
Mestra em Nutrição pelo Programa de Pós-graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
Especialização em Nutrição Esportiva pela AVM Educacional.

Últimos Posts

newsletter

Receba Novidades Por E-mail

Deixe um Comentário

Postagens Relacionadas

categorias

Pesquise por Categoria

Urologia

Sintomas

Reumatologia

Radiologia

Psiquiatria

Psicologia

Pediatria

Otorrinolarigonlogia

Ortopedia

Oncologia

Oftalmologia

Nutrição

Notícias

Neurologia

Neurocirurgia

Nefrologia

Medicina Esportiva

Mastologia

Infectologia

Ginecologia e Obstetrícia

Gerontologia

Geriatria

Gastroenterologia

Fisioterapia

Fisiatria

Farmácia

Endocrinologia

Educação Física

Dor

Doenças

Dermatologia

Curiosidades

Clínica Médica

Cirurgia Vascular

Cirurgia Plástica

Canabidiol

Biomedicina

Artigos

Alergia

Acupuntura

newsletter

Receba Novidades Por E-mail