Leite: Mitos e verdades

O leite, um dos alimentos mais consumidos no Brasil, vem sendo frequentemente associado a informações que nem sempre são verídicas e muitas pessoas acabaram por exclui-lo da dieta. Mas será que o leite é tão ruim quanto falam? Vamos abordar aqui alguns mitos associados ao leite.

Leite é inflamatório: mito!

As pessoas afirmam que leite é inflamatório muito devido a reações alérgicas à proteína do leite de vaca.

O problema foi que extrapolaram as reações imediatas e tardias que podem acontecer com ALGUMAS pessoas, normalmente no início da vida e que podem ser até transitórias, e extrapolaram essa informação para o restante da população, com a narrativa de que o leite possui ação inflamatória.

Isso é uma inverdade. Alimentação é baseada em ciência. São estudos que pesquisam e descobrem, diariamente, os benefícios e malefícios sobre diversos nutrientes na alimentação e na saúde em geral.

Um dos estudos mais recente sobre o tema, uma revisão de 15 ensaios clínicos randomizados em 2021, não encontrou NENHUMA ação PRÓ-INFLAMATÓRIA no consumo de leite e derivados em pessoas saudáveis.

Na verdade, a maioria dos estudos mostrou, inclusive, uma ação ANTI-INFLAMATÓRIA do leite. O estudo avaliou até mesmo o consumo de leite por pessoas com sobrepeso e obesidade, que são “inflamadas” pela própria condição da doença (sim, obesidade é uma doença), e mesmo assim o consumo de leite e derivados não alterou nenhum dos parâmetros de inflamação.

Então, as pessoas podem viver muito bem com ou sem leite e derivados, não havendo qualquer motivo para exclui-lo da dieta de forma definitiva.

Em pessoas sabidamente alérgicas a proteína do leite de vaca, leite e derivados obviamente podem gerar uma resposta inflamatória, porém em pessoas saudáveis ou até mesmo em obesos o consumo de laticínios pode gerar uma resposta ANTI-INFLAMATÓRIA benéfica ao organismo.

O ser humano é o único mamífero que na fase adulta toma leite: verdade, mas…

leite b

Vocês já viram algum outro mamífero que saiba ordenhar uma vaca? É uma analogia ridícula, eu sei, mas válida. As pessoas usam essa afirmativa com a comparação como se o ser humano passasse a vida toda tomando leite materno.

Sabemos que isso não acontece, óbvio. De fato, nenhum mamífero continua “mamando” depois de adulto.

O ser humano também não. Nós consumimos leite de vaca, o que é diferente.

Leite uma excelente fonte de cálcio: verdade!

Não só é uma boa fonte de cálcio, como é a melhor que nós temos.

Alimentos como verduras, legumes e peixes também são boas fontes de cálcio, mas a biodisponibilidade é menor, ou seja, a capacidade de aproveitamento do cálcio pelo organismo, ou a quantidade de alimento a ser consumida para atingir a quantidade necessária de cálcio é muito grande.

Para comparar: uma porção de leite de vaca (200 ml), independentemente de ser desnatado, semidesnatado ou integral, contém 240 mg de cálcio, enquanto uma porção de couve refogada (42 gramas) contém apenas 71 miligramas.

Se considerarmos as recomendações de ingestão diária desse mineral (1000 mg/dia), estas porções satisfariam 25% e 7%.

Leite vegetal é substituto do leite de vaca: mito!

Leite vegetal, como os de soja, amêndoas, aveia, arroz, coco, entre outros, sequer deveriam ser chamados de leite, e sim de extrato. Leite é uma secreção de cor esbranquiçada produzida pelas glândulas mamárias, logo, não se pode atribuir esse nome ao líquido extraído de plantas.

A verdade é que chamá-los de leite é uma vantagem comercial, posto que, enquanto se afirma que leite é inflamatório, se oferece uma versão dita mais saudável, e… BEM MAIS CARA. Enquanto 1 litro de leite integral custa por volta de R$ 5,00, a versão vegetal custa R$ 10,00.

O “leite” em sua versão vegetal não tem os mesmos nutrientes que o leite de vaca. Os extratos vegetais, em sua maioria, são pobres em nutrientes e em proteína, fornecendo apenas carboidratos ou gorduras.

São até mais calóricos que o leite de vaca, se compararmos a versão integral, posto que alguns deles são à base de gorduras, como o de amêndoas e o de coco.

Quem tem alergia pode consumir leite sem lactose? Mito.

Leite sem lactose pode ser consumido por quem tem intolerância à lactose, o que é diferente de alergia.

A reação alérgica é às proteínas contidas no leite, enquanto lactose é um carboidrato, ou seja, um tipo de açúcar, que é o que gera a intolerância.

Leite desnatado é mais saudável que o leite integral? Mito.

O leite desnatado apenas possui um teor menor de gordura, o que pode ser interessante para certas pessoas, mas não para todas.

As gorduras têm diveras funções benéficas no organismo, sendo necessário apenas o controle de excessos. Em quantidades ideais, o consumo de leite integral não traz prejuízos. Se convenceu que o leite não é o vilão da alimentação?

Inclusive é um alimento completo e que possui um ótimo custo-benefício. Em 100g de leite temos algo em torno de 3,7g de proteína, 3,5g de gordura, 5,4g de carboidrato e 104mg de cálcio.

Leilane Lilian Araújo Leal

Nutricionista graduada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
Mestra em Nutrição pelo Programa de Pós-graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
Especialização em Nutrição Esportiva pela AVM Educacional.
Compartilhe Esse Conteúdo
Facebook
Twitter
LinkedIn
Leilane Lilian Araújo Leal

Leilane Lilian Araújo Leal

Nutricionista graduada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
Mestra em Nutrição pelo Programa de Pós-graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
Especialização em Nutrição Esportiva pela AVM Educacional.

Últimos Posts

newsletter

Receba Novidades Por E-mail

Deixe um Comentário

Postagens Relacionadas

Como evitar queloides

Como evitar queloides?

Queloides são crescimentos dérmicos benignos que surgem através da cicatrização anormal de feridas em resposta a traumas ou inflamações anteriores da pele.  O desenvolvimento de

Continue Lendo
Pupila Dilatada

O que é Pupila Dilatada? Entenda!

A pupila, uma estrutura de grande importância em nosso sistema visual, apresenta complexidade em sua constituição. Seu tamanho varia em resposta a três categorias distintas

Continue Lendo
categorias

Pesquise por Categoria

Urologia

Sintomas

Reumatologia

Radiologia

Psiquiatria

Psicologia

Pediatria

Otorrinolarigonlogia

Ortopedia

Oncologia

Oftalmologia

Nutrição

Notícias

Neurologia

Neurocirurgia

Nefrologia

Medicina Esportiva

Mastologia

Infectologia

Ginecologia e Obstetrícia

Gerontologia

Geriatria

Gastroenterologia

Fisioterapia

Fisiatria

Farmácia

Endocrinologia

Educação Física

Dor

Doenças

Dermatologia

Curiosidades

Clínica Médica

Cirurgia Vascular

Cirurgia Plástica

Canabidiol

Biomedicina

Artigos

Alergia

Acupuntura

newsletter

Receba Novidades Por E-mail