Cuscuz engorda ou emagrece?

cuscuz engorda

Hoje vamos explorar mais detalhes técnicos sobre o cuscuz, um alimento muito popular no Brasil, especialmente na região nordeste, e responder às perguntas mais comuns: cuscuz engorda ou emagrece?

Será que comer cuscuz à noite engorda? Qual é o melhor tipo de cuscuz para comer: marroquino, tapioca ou milho?

Abordaremos os benefícios, as propriedades nutricionais e o impacto do cuscuz no peso.

Sobre o Cuscuz

cuscuz nordestino engorda

O cuscuz tradicional é originário do Oriente Médio, sendo conhecido como cuscuz marroquino. Ele é feito de semolina, uma forma de trigo, e pode ser servido de diversas maneiras: como acompanhamento, salada e até sobremesa.

É um alimento versátil que pode substituir o arroz ou a quinoa no dia a dia. No Brasil, encontramos cuscuz feito de farinha, polvilho, arroz e mandioca, com diversas receitas disponíveis.

Benefícios do cuscuz

O cuscuz é basicamente uma fonte de amido, ou seja, de carboidratos. Ele tem baixo teor de vitaminas e minerais e é pobre em proteínas. Em 100 gramas de cuscuz de milho, por exemplo, há 360 calorias e 80 gramas de carboidratos.

Sendo assim, o cuscuz serve como fonte de energia, mas não como fonte de nutrição.

  1. Fonte de energia: Por ser rico em carboidratos complexos, o cuscuz fornece energia ao organismo, tornando-se uma opção interessante para ser consumida no café da manhã ou antes de atividades físicas.
  2. Sem glúten: O cuscuz é feito à base de milho, um grão que não contém glúten. Isso o torna uma opção segura para pessoas com doença celíaca ou sensibilidade ao glúten.
  3. Fonte de fibras: O cuscuz contém fibras alimentares, que auxiliam na digestão, melhoram o trânsito intestinal e contribuem para a sensação de saciedade.
  4. Rico em vitaminas e minerais: O cuscuz é uma fonte de vitaminas do complexo B, como a tiamina (B1), riboflavina (B2) e niacina (B3), além de minerais como ferro, fósforo e potássio.

Cuscuz na alimentação saudável

Embora o cuscuz não faça parte da alimentação ideal, chamada de “alimentação forte”, é possível incluí-lo ocasionalmente, se você já possui uma saúde metabólica equilibrada e não deseja perder peso.

Nesses casos, o cuscuz pode ser consumido sem maiores prejuízos à saúde, mas é importante lembrar que ele não substitui alimentos mais nutritivos e deve ser consumido com moderação.

Informações Nutricionais do Cuscuz

sobre o cuscuz

Comparando o cuscuz marroquino tradicional com o arroz integral, ele é um pouco menos calórico (cerca de 180 calorias em 1 xícara cozida), porém, com mais proteínas (6g de proteína, enquanto o arroz integral possui 5g). Entretanto, o arroz integral oferece mais nutrientes, como magnésio, ferro e vitaminas do complexo B.

O que tornará seu cuscuz mais nutritivo é o que você acrescenta a ele. Pode ser passas, damasco, nozes, ervilha, milho, ovos cozidos ou carnes. Dependendo do que você adiciona, seu cuscuz ficará mais saudável e menos calórico. Entre os tipos de cuscuz, o marroquino é o mais interessante devido ao seu maior teor de proteínas e fibras.

Qual é o melhor tipo de cuscuz?

Em relação aos diferentes tipos de cuscuz (arroz, tapioca, milho e trigo), o ranking seria o seguinte:

  1. Cuscuz de arroz
  2. Cuscuz de tapioca
  3. Cuscuz de milho
  4. Cuscuz de trigo

O critério utilizado para essa classificação considera o menor impacto negativo no organismo, a menor carga de antinutrientes e o menor potencial inflamatório.

A escolha entre consumir cuscuz desidratado ou hidratado também é uma questão de praticidade. Algumas pessoas preferem pesar o cuscuz cru e outras o cuscuz pronto. Independentemente da opção escolhida, é crucial utilizar a tabela nutricional correta para evitar erros na dieta.

Cuscuz engorda?

Muitas pessoas acreditam que o cuscuz engorda, mas comparado ao arroz ou macarrão, ele possui quantidade semelhante de carboidratos, se não mais, porém com menos fibras e proteínas. O cuscuz marroquino, em especial, é uma opção mais interessante para incluir na sua dieta.

O cuscuz possui um índice glicêmico um pouco alto, sendo importante pensar em formas de reduzi-lo para diminuir o impacto da secreção de insulina e o acúmulo de gordura. Uma dica é adicionar proteínas ao carboidrato. Por exemplo, cozinhe o cuscuz com frango refogado, garantindo proteínas, fibras e melhorando o índice glicêmico.

Evite adicionar mais carboidratos ao cuscuz, como ervilha, milho, passas ou damasco. Se desejar enriquecer o prato, opte por hortaliças como brócolis ou couve-flor, que não aumentam significativamente o teor de carboidratos.

Cuscuz e ganho de peso

peso 2

Embora o cuscuz possua diversos benefícios, seu alto teor de carboidratos e índice glicêmico elevado podem impactar negativamente no peso de algumas pessoas.

O índice glicêmico é uma medida que indica a rapidez com que um alimento é capaz de elevar os níveis de açúcar no sangue. Alimentos com alto índice glicêmico, como o cuscuz, podem causar picos de insulina, o que leva ao armazenamento de gordura no corpo.

Dessa forma, o cuscuz pode contribuir para o ganho de peso, especialmente se consumido em grandes quantidades ou como parte de uma dieta rica em carboidratos e calorias.

Para evitar isso, é importante equilibrar a quantidade de cuscuz com outros alimentos ricos em fibras, proteínas e gorduras saudáveis, além de controlar as porções e praticar atividades físicas regularmente.

Cuscuz e emagrecimento

Se você deseja emagrecer ou tem problemas metabólicos, como diabetes, o cuscuz não é a melhor opção de alimento.

Por ser rico em amido, ele eleva rapidamente os níveis de glicose no sangue, podendo prejudicar o controle do açúcar e a perda de peso. Além disso, sua baixa quantidade de proteínas não favorece a saciedade.

Em termos de carboidratos, o cuscuz hidratado é semelhante ao arroz, macarrão e batata-doce. No entanto, ele tem uma quantidade menor de calorias do que esses alimentos, o que pode ser benéfico para quem busca emagrecimento.

Conclusão

Em resumo, o cuscuz é um alimento saboroso, acessível, nutritivo e sem glúten, mas deve ser consumido com moderação, principalmente por quem está em processo de emagrecimento. Lembre-se sempre de equilibrar sua alimentação e fazer escolhas conscientes para manter uma vida saudável.

O cuscuz é uma fonte de energia, mas não de nutrição. Ele pode ser consumido por pessoas saudáveis, mas não é o alimento mais indicado para quem deseja emagrecer ou melhorar problemas metabólicos. Para alcançar seus objetivos de saúde e boa forma, é fundamental priorizar alimentos nutritivos e reduzir o consumo de alimentos refinados e processados, como o cuscuz.

Dr. Marcus Yu Bin Pai

CRM 158074 / RQE 65523, 65524 | Médico especialista em Acupuntura e Fisiatria pela USP. Área de Atuação em Dor pela Associação Médica Brasileira. Doutorado em Ciências pela Universidade de São Paulo. Professor e Colaborador do Grupo de Dor do Hospital das Clínicas da USP. Diretor do Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura (CMBA).

Compartilhe Esse Conteúdo
Facebook
Twitter
LinkedIn
Dr. Marcus Yu Bin Pai

Dr. Marcus Yu Bin Pai

CRM 158074 / RQE 65523, 65524 | Médico especialista em Acupuntura e Fisiatria pela USP. Área de Atuação em Dor pela Associação Médica Brasileira. Doutorado em Ciências pela Universidade de São Paulo. Professor e Colaborador do Grupo de Dor do Hospital das Clínicas da USP. Diretor do Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura (CMBA).

Últimos Posts

newsletter

Receba Novidades Por E-mail

Deixe um Comentário

Postagens Relacionadas

categorias

Pesquise por Categoria

Urologia

Sintomas

Reumatologia

Radiologia

Psiquiatria

Psicologia

Pediatria

Otorrinolarigonlogia

Ortopedia

Oncologia

Oftalmologia

Nutrição

Notícias

Neurologia

Neurocirurgia

Nefrologia

Medicina Esportiva

Mastologia

Infectologia

Ginecologia e Obstetrícia

Gerontologia

Geriatria

Gastroenterologia

Fisioterapia

Fisiatria

Farmácia

Endocrinologia

Educação Física

Dor

Doenças

Dermatologia

Curiosidades

Clínica Médica

Cirurgia Vascular

Cirurgia Plástica

Canabidiol

Biomedicina

Artigos

Alergia

Acupuntura

newsletter

Receba Novidades Por E-mail