Tratamento para Micose: O que você precisa saber

Tratamento para Micose

Micose é o nome genérico dado para infecções cutâneas causadas por diferentes tipos de fungos que podem surgir em qualquer lugar do corpo, porém são mais comuns nas unhas, couro cabeludo e na pele. Neste artigo, vamos abordar as principais opções de tratamento para micose.

As micoses podem afetar pacientes de todas as faixas  e ocorrem com maior frequência no verão por conta do calor que favorece a multiplicação dos fungos em áreas úmidas, quentes e ricas em queratina.

Normalmente, exigem um tratamento persistente e prolongado por meio de medicamentos antifúngicos, que podem ser na forma de cremes e loções aplicados diretamente na área afetada ou ainda comprimidos orais, prescritos por um médico dermatologista.

Os sintomas de micose são diversificados, pois dependem do fungo causador da infecção. Contudo, entre os sintomas mais notados nos pacientes destacam-se a descamação e lesões variadas na pele, coceira, rachaduras, pontos de escurecimento ou de descoloração na derme, corrimento e coceira genital; alteração da coloração e forma da unha.

A micose é uma infecção contagiosa, assim pode ser transmitida de pessoa para pessoa e também através do compartilhamento de objetos.

O estresse, a má alimentação, a baixa imunidade geral do organismo e falta de cuidados com a higiene pessoal podem agravar os quadros de infecção e dificultar o tratamento da doença.

Dentre os cuidados básicos para prevenir a micose, além de reforçar a higiene pessoal, temos o não compartilhamento de objetos de uso pessoal, secar cuidadosamente todas as partes do corpo após o banho, evitar tecidos sintéticos que não absorvam o calor e não andar descalço em ambientes úmidos.

Acompanhe a leitura e conheça melhor as opções de tratamento para micose. 


Conheça os principais tratamentos para micose

Uma vez que as micoses podem ser causadas por diferentes tipos de fungos é importante o diagnóstico médico para identificar o agente causador da infecção e determinação do correto tratamento para cada caso.

Apesar de não ser considerada uma condição grave, os sintomas da micose podem ser bastantes incômodos e também afetar a autoestima do paciente, prejudicando seu convívio social.

Mesmo não oferecendo risco à vida e geralmente se tratando de um problema localizado, a micose necessita de um tratamento cuidadoso.

O tratamento para micose normalmente varia de 02 a 03 meses e para que obtenha sucesso é fundamental que todas as recomendações médicas sejam seguidas à risca.

As medicações antifúngicas e os métodos de tratamentos prescritos pelo dermatologista alternam conforme a área afetada pela micose e também pelo tipo de fungo causador da infecção.

Atualmente no mercado dispomos de muitas alternativas para o tratamento da micose que alcançam bons resultados. 


Pomadas para micose

As pomadas normalmente são mais indicadas para o tratamento de micose na pele. 

As soluções de uso tópico possuem indicação geralmente para casos de micoses no couro cabeludo e na pele, podendo ser encontradas na forma de loções.

Os comprimidos via oral são a recomendação mais indicada para quadros de micoses extensas e que causam muito desconforto.

Já os esmaltes de ação antifúngica, que não são iguais aos vendidos em lojas de cosméticos, podem ser utilizados para tratar as micoses nas unhas, evitando a proliferação dos fungos e impedindo as alterações na forma da unha. 

É importante destacar que é fundamental dar continuidade ao tratamento para micose mesmo após o desaparecimento dos sintomas da infecção.

Isso ocorre pois todos os fungos causadores da doença podem ainda não ter sido completamente eliminados, levando ao reaparecimento dos sintomas ou mesmo ao agravamento do problema.

Para prevenir casos de reincidência e colaborar para o sucesso do tratamento também deve-se fortalecer o sistema imunológico por meio de dieta saudável e devidamente balanceada, priorizando os alimentos naturais.

A prática regular de exercícios físicos, impedir que as regiões do corpo com dobras fiquem úmidas por um prolongado período de tempo e ainda evitar o contato com pessoas infectadas também são fatores que colaboraram para evitar casos de micose.

A seguir, segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), confira os melhores tratamentos de acordo com os principais tipos de micose.

Candidíase

Causada por um fungo conhecido como cândida, comumente se manifesta na boca, sendo chamada popularmente de sapinho, mas também pode se desenvolver nas unhas, em regiões de dobras, abaixo das mamas e axilas, bem como na área genital feminina.

O tratamento da candidíase envolve o uso de antifúngicos tópicos e sistêmicos.

Tineas(Tinha)

Um fungo que se alimenta da queratina presente na pele, cabelos e unhas é o causador deste tipo de micose. A tinea mais frequente é a onicomicose, que afeta as unhas  tanto das mãos, quanto dos pés, alterando a espessura, forma e coloração.

O tratamento prescrito para tineas normalmente envolve antifúngicos locais ou orais.

Pitiríase Versicolor

Causada por fungos do gênero malassezia, esse tipo de micose também é mais conhecida como pano branco. Geralmente é caracterizado por manchas brancas agrupadas ou isoladas, no entanto também pode surgir como manchas avermelhadas ou escuras.

O tratamento pode ser realizado com medicamentos antifúngicos orais ou de uso tópico.

Tratamento para micose nas unhas com laser

Tratamento para Micose

Como já pontuamos que um dos tipos de tinea mais frequente é a onicomicose, uma micose que pode atingir as unhas dos dedos das mãos e dos pés e provocar  alterações no formato, cor e também espessura.

Existem diversos tipos de fungos responsáveis pela onicomicose presentes no ambiente e a infecção pode se dar através de pequenos traumatismos, como por exemplo o uso de um sapato apertado.

A onicomicose pode ser causada ainda  por problemas imunológicos que diminuem a capacidade do organismo humano para combater infecções nas unhas, por conta de doenças como AIDS, diabetes ou ainda pela má circulação sanguínea.

Até pouco tempo atrás, o único tratamento para esse tipo de micose envolvia a utilização de medicamentos antifúngicos orais ou locais prescritos pelo médico dermatologista que, contud,o não apresentavam resultados satisfatórios em curto período de tempo.

No entanto, atualmente já é possível tratar as micoses na unha por meio de laser de modo mais rápido e indolor para o paciente.

Com os medicamentos tradicionais, o tratamento durava em média de 06 meses a 01 ano.

Já com o laser, o tempo de duração do tratamento é reduzido com a realização de seis a doze sessões, espaçadas entre uma ou duas semanas, a depender da extensão da infeção, da quantidade de unhas afetadas e também da disponibilidade do paciente, entre outros fatores. 

Com o tratamento a laser, as atividades habituais da pessoa também não necessitam ser interrompidas.

Geralmente, esse tipo de  tratamento para micose de unha envolve a utilização do laser ND: Yag. 

A aplicação ocorre a partir da região da matriz até a borda ungueal promove um aquecimento gradual dos tecidos e resultando na morte dos fungos causadores da infecção, sem danificar a unha ou a pele.

Para a realização do procedimento não há necessidade de anestesia, uma vez que o paciente sente apenas um leve desconforto na região devido ao aquecimento no momento da aplicação do laser.

A melhora da unha é notada de forma gradual e progressiva, de acordo com o crescimento da unha afetada.

Leia mais: Laser para onicomicose: Conheça o tratamento

Saiba como prevenir o surgimento das micoses

É importante alertar sobre os riscos da automedicação em quadros de micoses, pois apesar de alguns medicamentos apresentarem um alívio imediato dos sintomas, na verdade, estão apenas ocultando as lesões geradas pelo fungo.

Quando não tratada adequadamente, as micoses podem evoluir para infecções mais graves, bem como causar muito desconforto e coceira intensa.

Por isso, é tão importante o acompanhamento com o médico dermatologista para o adequado diagnóstico e posterior tratamento para a micose.

Com a ajuda do dermatologista e seguindo corretamente todas as suas recomendações é possível controlar os sintomas da micose e evitar que a doença se espalhe para outras áreas do corpo.  

Alguns cuidados essenciais de higiene podem prevenir que a micose volte a surgir, assim como se manifestar pela primeira vez.

Confira algumas das práticas indicadas:

  • Meias e roupas íntimas devem ser trocadas diariamente;
  • Evite compartilhar roupas, principalmente as íntimas, assim como outros objetos de uso pessoal com indivíduos com sintomas de micose, a exemplo de utensílios de manicure, bonés, lençóis e toalhas de banho;
  • Em salões de beleza, quando não for possível levar seus utensílios pessoais, observe se o material utilizado é devidamente esterilizado;
  • Procure manter as áreas de dobra da pele, como a virilha, axila e também entre os dedos dos pés, sempre bem secas;
  • Caso vá tomar banho em locais públicos, utilize um chinelo;
  • Tente não usar sapatos fechados por muito tempo;
  • Guarde os calçados em locais arejados;
  • Utilizar meias de algodão, pois as meias de tecido sintético favorecem o acúmulo de umidade;
  • Evite usar roupas muito quentes, principalmente de tecidos sintéticos, que não possibilitam a transpiração da pele;
  • Também evite ficar com roupas de banho molhadas por um longo período de tempo;
  • Lave sempre as mãos após ter contato com animais de estimação.

Conclusão

No decorrer deste conteúdo, você ficou informado que micose é o nome genérico dado a infecção causada por diversos tipos de fungos que podem afetar principalmente a pele, o couro cabeludo e as unhas.

A micose é uma infecção contagiosa que pode acometer pessoas de todas as faixas de idade, desde crianças até idosos.

Essas infecções costumam ocorrer com mais frequentemente no verão devido às temperaturas mais altas que favorecem a proliferação dos fungos em áreas úmidas, quentes e ricas em queratina, como o nosso couro cabeludo e unhas.

Entre as principais tipos de micoses, destacam-se a tinea, a onicomicose,  a candidíase e a pitiríase versicolor.

Os sintomas da  micose podem variar conforme o tipo do fungo responsável por causar a infecção, mas geralmente incluem lesões na pele, descamação, coceira e rachaduras, além de pontos de escurecimento ou de descoloração na derme.

Como você pode notar ao longo deste artigo, o tratamento para micose é bem simples, podendo ser realizado com medicamentos antifúngicos de uso local ou via oral, no entanto, requer que o paciente siga as orientações do médico dermatologista com dedicação e paciência.

As pomadas são a opção mais recomendada para o tratamento de micose na pele. Já as soluções de uso tópico, na forma de loções, normalmente possuem indicação para quadros de micoses no couro cabeludo e na pele.

Micoses mais extensas e que geram maior desconforto no paciente costumam ser tratadas com comprimidos via oral.

Geralmente o tratamento para micose dura de 60 a 90 dias e para que obtenha resultados satisfatórios é essencial que todas as recomendações médicas sejam devidamente obedecidas. 

Seguindo as orientações do dermatologista e adotando o devido tratamento é possível controlar os sintomas da micose e evitar que a doença se espalhe para outras áreas do corpo.  

Já o tratamento a laser para as micoses de unha, chamadas de onicomicose, é uma nova opção de procedimento atualmente disponível no mercado. Geralmente esse tratamento utiliza o laser ND: Yag. 

A principal vantagem do tratamento de onicomicose com laser consiste na redução do tempo de duração em comparação com o tratamento por meio de medicações tradicionais.

A adoção de alguns cuidados básicos de higiene pessoal podem prevenir a recorrência de quadros de micose e também evitar que a doença se manifeste pela primeira vez.

Além disso, é importante buscar o fortalecimento do sistema imunológico através de uma dieta saudável, prática regular de exercícios e o não compartilhamento de objetos de uso pessoal.

Mesmo não sendo considerada uma doença grave, uma vez que não oferece risco à vida, os sintomas da micose podem ser muito incômodos e também afetar a autoestima da pessoa, prejudicando seu convívio social.

Assim, é melhor prevenir o incômodo causado pelas micoses, não é mesmo?

Caso note sintomas característicos de micose em qualquer parte do corpo, busque com brevidade o acompanhamento com um dermatologista e siga todas as suas orientações para tratar a doença.

Este artigo foi realmente útil para você? Então, compartilhe nas redes sociais para que outras pessoas também possam ter acesso a informações relevantes.

Dra. Juliana Toma

CRM-SP: 156490 / RQE: 65521.
Médica pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP/EPM). Residência Médica em Dermatologia pela UNIFESP. Pós-Graduação em Dermatologia Oncológica pelo Instituto Sírio Libanês (SP).
Fellow em Tricologias, Discromias e Acne pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP).
Pós-Graduação em Pesquisa Clínica pela Harvard Medical School – EUA (Principles and Practice of Clinical Research).

Compartilhe Esse Conteúdo
Facebook
Twitter
LinkedIn
Dra. Juliana Toma

Dra. Juliana Toma

CRM-SP: 156490 / RQE: 65521.
Médica pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP/EPM). Residência Médica em Dermatologia pela UNIFESP. Pós-Graduação em Dermatologia Oncológica pelo Instituto Sírio Libanês (SP).
Fellow em Tricologias, Discromias e Acne pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP).
Pós-Graduação em Pesquisa Clínica pela Harvard Medical School – EUA (Principles and Practice of Clinical Research).

Últimos Posts

newsletter

Receba Novidades Por E-mail

Deixe um Comentário

Postagens Relacionadas

Como evitar queloides

Como evitar queloides?

Queloides são crescimentos dérmicos benignos que surgem através da cicatrização anormal de feridas em resposta a traumas ou inflamações anteriores da pele.  O desenvolvimento de

Continue Lendo
Pupila Dilatada

O que é Pupila Dilatada? Entenda!

A pupila, uma estrutura de grande importância em nosso sistema visual, apresenta complexidade em sua constituição. Seu tamanho varia em resposta a três categorias distintas

Continue Lendo
categorias

Pesquise por Categoria

Urologia

Sintomas

Reumatologia

Radiologia

Psiquiatria

Psicologia

Pediatria

Otorrinolarigonlogia

Ortopedia

Oncologia

Oftalmologia

Nutrição

Notícias

Neurologia

Neurocirurgia

Nefrologia

Medicina Esportiva

Mastologia

Infectologia

Ginecologia e Obstetrícia

Gerontologia

Geriatria

Gastroenterologia

Fisioterapia

Fisiatria

Farmácia

Endocrinologia

Educação Física

Dor

Doenças

Dermatologia

Curiosidades

Clínica Médica

Cirurgia Vascular

Cirurgia Plástica

Canabidiol

Biomedicina

Artigos

Alergia

Acupuntura

newsletter

Receba Novidades Por E-mail