Irritabilidade na Gravidez

irritabilidade na gravidez

A GRAVIDEZ é uma condição que representa o período da formação de um novo ser. A mulher aguarda nove meses por uma nova vida. Consequentemente, durante esse período acontecem diversas transformações, sejam biológicas ou psíquicas.

Essa fase é marcada por alterações biológicas, sociais, corporais e emocionais, que preparam o organismo para a chegada da criança. São mudanças bem particulares e até mesmo difíceis, variando de uma mulher para outra, mas geralmente parecidas, que trazem certo grau de angústia, insegurança e dúvidas sobre o que realmente está acontecendo com o seu corpo e emoções.

Durante a gestação, geralmente a mulher entra em um estado de tensão, em razão da expectativa das grandes mudanças que estão e continuarão a acontecer. A mulher fica sujeita a mudanças internas e externas, envolvendo mudanças no corpo, desequilíbrios emocionais, mudanças de humor, ansiedade, medo, sentimentos positivos e negativos, insegurança e irritabilidade.

Da mesma forma que algumas mulheres experimentam irritabilidade antes do período menstrual, é comum sentir esse sentimento durante a gravidez. A grande razão para a irritabilidade antes do período menstrual são as oscilações hormonais. Durante a gravidez, essa oscilação é muito mais intensa. Os hormônios mudam rapidamente, especificamente o estrogênio e a progesterona. 

Um estudo publicado pelo periódico Nigerian Medical Journal salienta que os níveis de estrogênio aumentam durante as primeiras 12 semanas de gravidez, mais de 100 vezes do que o normal.

irritabilidade na gravidez

O estrogênio está associado à serotonina, que é uma substância química do cérebro conhecida como o “hormônio da felicidade”. No entanto, a serotonina não é uma conexão direta com a felicidade, pois desequilíbrios desse hormônio podem causar uma desregulação emocional.

As mudanças nos níveis de estrogênio causam os desequilíbrios de humor na gravidez, em particular, ansiedade e irritabilidade. A progesterona é o hormônio que faz uma mulher grávida chorar em todos os comerciais de televisão. Sabendo que o estrogênio é o que provoca irritabilidade e a progesterona causa sensibilidade, não é de se admirar que a gravidez desencadeie alterações de sentimentos e humor.

Vale destacar que a irritabilidade na gravidez não é resultado apenas das oscilações hormonais, mas também dos desconfortos da gravidez. Enjoos matinais, vômitos, fadiga, além de outros sintomas físicos associados à gravidez podem causar estresse e sofrimento emocional, até porque ninguém se sente bem estando emocionalmente cansada ou enjoada durante a gestação.

Quando não estamos nos sentindo bem, é quase improvável nos sentirmos calmos e tranquilos. Então é natural o desconforto físico contribuir para a irritabilidade na gravidez.

desconfortos da gravidez

A irritabilidade e o estresse são significativos e mais frequentes por volta dos três últimos meses da gestação. Apesar de ser um sentimento comum na fase da gestação, pesquisas revelam que a irritabilidade e o estresse podem ser maléficos para a saúde da gestante e suas relações intrafamiliares, pois torna-se difícil estabelecer o vínculo entre a mãe e o bebê, trazendo prejuízos ao desenvolvimento do bebê em diversos aspectos.

Certamente, a gestação é uma fase bem complicada na vida da mulher, onde ocorrem alterações profundas, envolvendo mudanças no corpo, na mente e no meio social. As mudanças de humor são inevitáveis, mas isso não significa que a mulher não pode fazer nada para tornar essa fase um pouco mais fácil.

Se você se interessou em ler esse artigo, provavelmente é porque está grávida e sofrendo com as oscilações de humor.

A seguir, veja algumas “dicas” que podem ajudá-la a lidar melhor com essas mudanças de humor durante a sua gravidez.

Durma bem

Geralmente, no primeiro trimestre da gravidez, é natural se sentir cansada, não importa quantas horas você já tenha dormido. No terceiro trimestre, pode ocorrer a falta de sono devido ao grande esforço em se sentir confortável. Mas lembre-se: você precisa dormir. O sono e o cansaço são alguns dos caminhos que levam à irritabilidade. Faça o que puder para tornar o seu momento de sono mais tranquilo.

grávida dormindo

Tenha paciência com você mesma

Algumas mulheres grávidas se sentem mal pelas alterações de humor que estão sofrendo. Mas saiba que durante a gravidez, isso é comum. Entenda que os hormônios são os culpados e, com o tempo, as coisas irão voltar ao normal.

Tenha um diálogo com seu companheiro ou familiares à sua volta

A irritabilidade pode fazer você perder a paciência facilmente. Então converse com as pessoas à sua volta e deixe-as conscientes de que o problema não é com elas. Prepare-os antecipadamente para os possíveis períodos momentâneos de irritação e estresse. Quando acontecer, eles entenderão e a sua consciência não ficará tão pesada.

Faça meditação ou ioga

Meditação e ioga ajudam a reduzir a ansiedade e aumentam a sensação de bem-estar. Experimente essas técnicas através dos inúmeros aplicativos gratuitos online disponíveis. Ao decidir fazer aulas de ioga, apenas se certifique de que são apropriadas para mulheres grávidas, realizando aulas suaves e restauradoras.

grávida praticando ioga

Caso as suas alterações de humor se tornem muito intensas e frequentes, é importante conversar com seu médico sobre as opções de como lidar melhor com essas mudanças graves de humor, irritabilidade e ansiedade.


Referências:

KUMAR, P.; MAGON, N. Hormones in pregnancy. Nigerian Medical Journal, v. 53, n. 4, p. 179-183. 2012.

MARQUES, A. C. M.; SOUZA, L. F. Gestação e seus fatores emocionais. 2019. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Psicologia) – Centro Universitário de Anápolis – Unievangélica, Anápolis, 2019.

Dra. Juliana Toma

CRM-SP: 156490 / RQE: 65521.
Médica pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP/EPM). Residência Médica em Dermatologia pela UNIFESP. Pós-Graduação em Dermatologia Oncológica pelo Instituto Sírio Libanês (SP).
Fellow em Tricologias, Discromias e Acne pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP).
Pós-Graduação em Pesquisa Clínica pela Harvard Medical School – EUA (Principles and Practice of Clinical Research).

Compartilhe Esse Conteúdo
Facebook
Twitter
LinkedIn
Dra. Juliana Toma

Dra. Juliana Toma

CRM-SP: 156490 / RQE: 65521.
Médica pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP/EPM). Residência Médica em Dermatologia pela UNIFESP. Pós-Graduação em Dermatologia Oncológica pelo Instituto Sírio Libanês (SP).
Fellow em Tricologias, Discromias e Acne pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP).
Pós-Graduação em Pesquisa Clínica pela Harvard Medical School – EUA (Principles and Practice of Clinical Research).

Últimos Posts

newsletter

Receba Novidades Por E-mail

Deixe um Comentário

Postagens Relacionadas

Remédio para dor na coluna: Conheça os mais potentes

Meloxicam serve para Dor na Coluna?

O meloxicam é um medicamento anti-inflamatório não esteroide (AINES) comumente utilizado para o tratamento de condições reumatológicas e osteoarticulares. Muitos pacientes que fazem uso do

Continue Lendo
categorias

Pesquise por Categoria

Urologia

Sintomas

Reumatologia

Radiologia

Psiquiatria

Psicologia

Pediatria

Otorrinolarigonlogia

Ortopedia

Oncologia

Oftalmologia

Nutrição

Notícias

Neurologia

Neurocirurgia

Nefrologia

Medicina Esportiva

Mastologia

Infectologia

Ginecologia e Obstetrícia

Gerontologia

Geriatria

Gastroenterologia

Fisioterapia

Fisiatria

Farmácia

Endocrinologia

Educação Física

Dor

Doenças

Dermatologia

Curiosidades

Clínica Médica

Cirurgia Vascular

Cirurgia Plástica

Canabidiol

Biomedicina

Artigos

Alergia

Acupuntura

newsletter

Receba Novidades Por E-mail